Coluna da Estopinha: Transporte o seu gato sem dramas

Como os felinos tendem a não se sentir confortáveis com locais diferentes, precisam estar previamente habituados à caixa de transporte

Alexandre Rossi

Coluna da Estopinha: Transporte o seu gato sem dramas | <i>Crédito: Shutterstock
Coluna da Estopinha: Transporte o seu gato sem dramas | Crédito: Shutterstock
Uma das principais dúvidas sobre como lidar com os bichanos está relacionada ao uso da caixa de transporte. Como os felinos tendem a não se sentir confortáveis com locais diferentes, precisam estar previamente habituados à tal caixa, que deve ser agradável, confortável e segura.

Como fazer os treinos?
Em princípio, deixe a caixa em algum lugar da casa onde o gato fique bastante e encha-a de paninhos ou almofadas para ele ficar bem aconchegado. Vale também alimentar o pet, especialmente com o que ele mais gosta (como a ração úmida), lá dentro do objeto. Todas essas providências devem ser tomadas ainda sem fechar a porta. Na verdade, nesta fase do treinamento, o objetivo é que o gato faça deste lugar um refúgio onde só coisas legais acontecem. Ao notarmos que o gato já entra e fica na caixa para descansar espontaneamente, é hora de fechá-la. Primeiro, por poucos minutos. Depois, à medida que for constatado que ele fica à vontade (sem tentar sair ou mostrar sinais de desconforto), podemos aumentar o tempo.

Próximas etapas: mais estímulos
Quando o gato estiver habituado a ficar dentro da caixa fechada por períodos maiores (chegando a dormir, inclusive), comece a erguê-la com ele dentro. Como tudo que diz respeito a treinamento de animais, primeiro só alguns passos, ou de um cômodo da casa para o outro: vamos até lá e abrimos a portinha para ele, se quiser, sair em local já conhecido. Quando o felino demonstrar tranquilidade com o exercício, saia de casa. Mas no início, não para longe! Só uma voltinha pelo quintal ou hall do prédio. Depois,
no quarteirão, de carro... E assim até que o gato fique tranquilo dentro da caixa de transporte. Desta forma, poderemos garantir que, quando for necessário transportar o gato, ele irá literalmente dentro da casinha dele, onde já estará acostumado a ficar bem relaxado e tranquilo, o que possivelmente o poupará de sofrer muito estresse!

PERGUNTA QUE A ESTOPINHA RESPONDE
“Estopinha, escolhe eu!!! A tia quer saber se você teve bebezinhos, me conta?”
Evelin de Souza, Uberaba, MG

Escolho, escolho sim, tia Evelin!!! Mas ó, sobre a sua pergunta: não tive não! Eu e todos os meus irmãozinhos fomos castrados
quando a gente ainda era bem pequenininho e morava junto com nossos papis. Quem providenciou isso foi a tia que nos resgatou e nos levou pra casa! E todo mundo aqui é castrado... menos os papis, né? (risos)


CURIOSIDADE
Gatinha exigente
Em um ambiente natural, a fêmea pode escolher, entre todos os felinos machos, com qual quer acasalar. Uma das técnicas utilizadas por ela é deixar que o bichano mais forte espante e iniba os demais.


Alexandre Rossi é zootecnista e especialista em comportamento pet. Autor de livros e fundador da Cão Cidadão (empresa de adestramento e consulta comportamental), comanda o quadro Desafio Pet (Programa Eliana/SBT), Missão Pet (Nat Geo) e É o Bicho (BandNews FM). caocidadao.com.br

Envie suas sugestões e perguntas para o e-mail anamaria@maisleitor.com.br

01/09/2017 - 14:00

Conecte-se

Revista Ana Maria