Crônica da Xênia: E aí, vamos falar de novela?

Com o crescimento das redes sociais, ninguém mais fala sobre as superproduções

Xênia Bier

Crônica da Xênia: E aí, vamos falar de novela? | <i>Crédito: iStock
Crônica da Xênia: E aí, vamos falar de novela? | Crédito: iStock
Agora, quando começo uma novela, dou um tempo para fazer comentário. Antes, muito apressada, já ia e publicava a minha opinião. E, algumas vezes, me dei mal. Nos primeiros capítulos, a novela prometia. Mas, com o andar da carruagem, a dita cuja não era tão boa assim. E mais: piorava e eu mordia a língua. Como estava mal, eu descia o malho. Aí, a Globo “arrumava” a trama e eu ficava com cara de “vaca olhando vitrine”. Mas estou aprendendo. A vida nos ensina até nos últimos momentos de existência. Mas, vamos falar de novela. Que, antes, homens e mulheres falavam com interesse. Hoje, não encontro ninguém interessado. Nem Rose, a minha cuidadora! Minha neta, que era minha parceira, se mandou para a internet. Minha filha? Não tem tempo. E diz que ainda não tem idade para gostar de novela. Estou lutando com todas as forças para não cair nas malhas da senhora internet... Tenho toda desconfiança do mundo com referência a essa invenção estranhíssima que invade sem a menor cerimônia a vida de todos, trazendo por vezes muita infelicidade! Uma grande parcela dos usuários brasileiros é vítima frágil dessa tecnologia avançada. É preciso informação para não cair numa cilada. Acredito na teoria da conspiração. Nosso país é rico, só nós é que não damos valor. Mas lá fora, poderosos bem informados têm os olhos grandes grudados no Brasil. E a internet, sei não... Calate, boca! Então, vamos falar de novela. Está gostando de Novo Mundo? 

13/07/2017 - 16:00

Conecte-se

Revista Ana Maria