Entrevista com Vera Holtz

Alto-astral e verdadeira musa das redes sociais, a atriz revelou que precisa de muita concentração para encarnar a fria Magnólia, da novela A Lei do Amor

Júlia Arbex

Entrevista Vera Holtz | <i>Crédito: Alan Teixeira
Entrevista Vera Holtz | Crédito: Alan Teixeira
Alegre, leve e descontraída por natureza, Vera Holtz tem dado show na pele da dura e autoritária Magnólia de A Lei do Amor. Personagem que curiosamente não considera vilã, pois entende que Mág age assim para proteger a família. “Mas é fato: somos opostas; sou brincalhona e gosto de trabalhar dando risada”, admite a atriz de 63 anos. Para comprovar tanto bom humor e carisma, basta entrar no seu Facebook (492 mil seguidores) e Instagram (779 mil seguidores). Suas fotos conceituais, divertidíssimas e um tanto malucas conquistaram fãs bem jovens!


O que você acha da Magnólia?
Diferentemente do que as pessoas possam achar, eu não a considero uma vilã, não. Ela é bastante religiosa, considerada uma santa pela população da cidade de São Dimas e ama a família que tem... Principalmente o Tiago [Humberto Leitão], seu neto favorito. Daí fazer de tudo para manter sua família em pé e não admite que nada atrapalhe o caminho dos seus filhos Hércules [Danilo Granghéia] e Vitória [Camila Morgado]. Ou seja, se vê qualquer coisa que possa desequilibrar um pouco aquela família, ela fica uma fera, vira uma pessoa capaz de fazer qualquer coisa. Se isso é ser uma vilã ou não, cada um que vai dizer... [risos]


Você se identifica com ela?
Não, nada, sou o oposto dela [risos]! Sou brincalhona o tempo todo. Eu gosto, inclusive, de trabalhar brincando e dando risada. Já Mág é bastante dissimulada e grande jogadora – apesar de acreditar que, dentro do mundo em que vive, ela tem bastante caráter.
Além disso, vive numa tensão permanente, não consegue ser leve, não consegue relaxar.


Como é sua parceria com Tarcísio Meira?
Está sendo maravilhoso; é uma honra atuar e estar ao lado dele.


E a aproximação entre Mág e Tião (José Mayer)?
Não dá para saber logo de cara o que acontece entre os dois, mas é possível perceber que existe uma vibração intensa, um
magnetismo [os dois se beijaram em uma cena recente]. Há também um estranhamento forte. É para temperar um pouco e
apimentar esse mistério.


Como é interpretar uma mulher tão forte?
Antes de gravar, tenho que me preparar: fico mais quieta, ando mais devagar. Preciso focar, já que ela não é de sorrisos e não relaxa, está sempre pensando no próximo passo. Quando ponho o cabelo e a roupa da personagem, me transformo. É até
engraçado...


Você mudou seu visual para fazer o papel?
Tive que mudar um pouco o tom do meu cabelo. Eu deixo meu cabelo branco acinzentado. Agora, ele continua branco, mas um
pouco bege, alourado. Na TV, ele fica mais dourado.


Você é tão ativa nas redes sociais...
Sou demais! Mexo no Instagram e no Facebook. Fiquei um ano e meio em São Paulo trabalhando, mas não estava gravando. E o ócio é criativo, né [risos]? As ideias começaram a surgir e eu comecei a publicar aquelas fotos que fazem tanto sucesso. As ideias
de postagem são minhas, mas um amigo me ajuda na publicação. Eu odeio dar “enter” [risos].


E responde aos fãs?
Sempre! Adoro interagir com o pessoal, mas não verbalmente. Coloco aquelas carinhas [risos]. Não quero que o público tenha uma identidade minha. Quero que a Vera Viral tenha uma identidade própria.

27/12/2016 - 15:00

Conecte-se

Revista Ana Maria