Suzy Rêgo: "O casamento é ter bom humor"

Veja como a atriz Suzy Rêgo está disposta para viver uma dona de churrascaria em Rock Story

Roseane Santos

Suzy Rêgo: Crédito: André Baptista/Divulgação" title="Suzy Rêgo: "O casamento é ter bom humor" | Crédito: André Baptista/Divulgação">
Suzy Rêgo: "O casamento é ter bom humor" | Crédito: André Baptista/Divulgação
Suzy Rêgo está de volta às novelas com uma nova forma, mas com a mesma alegria que a acompanha em anos de profissão. Em Rock Story, novela das 19 h, ela dá vida a Gilda, uma dona de churrascaria que faz loucuras para manter seu casamento com Haroldo (Paulo Betti). Ela exige dele um comportamento de namorado! Aos 49 anos, mãe dos gêmeos Marco e Massimo, de 7 anos, fala que é um pouco diferente de sua personagem. Casada com o ator Fernando Vieira, Suzy jura que o segredo para a felicidade no casamento é o bom humor. “O Fernando fala para mim: ‘Vamos pra cama fazer aquilo que não fazemos há muito tempo’. Eu falo ok, nos jogamos na cama e roncamos a noite toda (risos)”, diverte-se. Veja o que ela disse para nós.


O que poderemos esperar de Gilda?
Essa coisa de os dois serem apaixonados tem um toque de humor. Vai ser bom ver como alguns casais fazem para manter o amor. Deve dar umas boas ideias para a gente em casa. A Gilda gosta de se enfeitar, tem a autoestima elevada e é uma mulher exuberante. Ela é muito segura, se acha gostosa e está sempre namorando. É saudável.


E fora da novela, você também é assim?
Nada. Meu marido ri quando me vê assim. Ele fala que essa é a Suzy Rêgo que trabalha para mim. Em outro ambiente, eu estou
de rabo de cavalo, chinelo de dedo e camisetão. Sou completamente anticlímax [risos]. Lá em casa, o que segura é o humor mesmo. Nós temos gêmeos e é muita atividade. Amor tem de sobra, humor também.


Como você se descreve na vida a dois, então?
Eu sou amorosa. Não sou tão romântica. O Fernando fala para mim: “Vamos para cama fazer aquilo que não fazemos há muito tempo”. Eu falo ok, nos jogamos na cama e roncamos a noite toda [risos].


Você declarou que os Vigilantes do Peso lhe ofereceram mudanças. Quais foram?
Os Vigilantes são um outro capítulo na minha vida. É saber que eu tenho liberdade para escolher e lembrar que posso comer
muitas coisas boas, mas não em muita quantidade. Eu tenho que ter certo controle. Tenho dois gêmeos de 7 anos que adoram
correr, brincar. Quero fazer isso tudo com eles. Percebi que, com o cuidado com a alimentação e com a atividade física, eu rendo
muito mais no teatro, na televisão. O tempo passa rápido e quando a gente vê já estamos um mês sem malhar. Aí é dor nas costas,
nas pernas, nos braços. Eu quero ter disposição.


Você controla mais alimentação no seu dia a dia agora?
Sim. Eu estava pensando em andar sempre com meu sal rosa e meu açúcar de coco. É uma bobagem? Pode até ser, mas eu almoço às vezes na rua, na gravação externa, no hotel e eles já estão lá comigo. São alguns minicuidados que podem fazer diferença.


E o segredo fundamental para a saúde?
O principal segredo é água. Chego a qualquer lugar, bebo água. Eu acordo, espremo um limão puro com água. Se eu beber um drinque, tenho que beber água a seguir.


Qual é o seu peso atual?
Eu já não vou mais à balança. A calça entrou, está ótimo. Falei para o meu marido que devemos aprender com a crise. Agora é época das vacas magras [risos]. Já cheguei a usar o manequim 50, agora estou quase chegando no 42. A blusa já é 42, mas a calça ainda é 44.


Existe algo proibido em seu cardápio?
Fritura. Não vou falar que não gosto, mas evito. Estou sem comer carne há uns cinco meses, por causa da ioga, e sinto que me faz
bem. O tal “pé na jaca” não é mais tão interessante para mim.


O que faz para não cair na tentação quando está fora de casa?
Eu tenho uma bolsinha com maçã e banana. A gente nunca sabe onde vai parar e se terá algo saudável por perto. E se a gente
estiver com aquela fome e quiser comer uma mesa? Eu me salvo e ainda posso salvar um amigo que está comigo e tem vontade
de comer uma coxinha.


Você engravidou aos 42 anos. Muitos falam que a mulher não tem tanta disposição nessa fase. O que pensa disso?
Eu melhorei muito depois que tive os meus filhos. Eles vieram para me renovar. Eu quero viver muito, viver bem. Quero mais é que eles apontem e falem: “Olha, a minha mãe é aquela velha que está correndo lá”. Se tiver vontade de fazer uma escalada, quero tentar. Eu tenho amigas que são assim, independentemente da idade. Já estou pensando... eles estarão com 18 anos e eu ainda estarei animada!

05/01/2017 - 14:00

Conecte-se

Revista Ana Maria