6 situações que podem causar queda de cabelo

Problemas na tireoide e até seguir uma dieta muito rígida podem comprometer a saúde dos fios

Raquel Maldonado

6 situações que podem causar queda de cabelo | <i>Crédito: Shutterstock
6 situações que podem causar queda de cabelo | Crédito: Shutterstock
Perder até 100 fios de cabelo por dia, embora pareça muito, é considerado normal entre os especialistas. Mais do que isso, porém, merece investigação. Mas como saber se estou perdendo mais? Sim, seria uma insanidade pedir para você contar. Então, o melhor jeito de descobrir se algo não vai bem é ficar atenta ao aumento de fios no travesseiro, no ralo do banheiro após o banho, na escova de cabelo... Se começar a notar uma quantidade muito maior do que antes, procure um médico para investigar o problema. Confira, a seguir, algumas causas possíveis:


1 SÍNDROME DO OVÁRIO POLICÍSTICO
É uma doença caracterizada por alterações menstruais, produção elevada de testosterona e presença de microcistos nos ovários, causando um desequilíbrio hormonal e, consequentemente, aumento na queda capilar. Ganho de peso, acne, cabelo e pele mais oleosos também são sinais da síndrome. Na dúvida, vá ao ginecologista e fale de seus sintomas. Exames de sangue e uma ultrassonografia podem diagnosticar o problema. Normalmente os médicos recomendam o uso de anticoncepcionais para equilibrar os hormônios e acabar com os sintomas.


2 DIETAS RÍGIDAS 
Regimes que restringem a ingestão de grupos alimentares podem prejudicar o funcionamento do organismo em diversos aspectos,
incluindo o ciclo capilar. A anemia é uma das principais causas da queda. Para combatê-la, coma mais carnes, fígado, feijão, grão-de-bico, lentilha, ervilha, cereais integrais, nozes, brócolis e couve. Uma dica: combinar, na mesma refeição, alimentos ou sucos ricos
em vitamina C (laranja, abacaxi, acerola, caju e kiwi) ajuda o organismo a absorver o ferro.


3 ESTRESSE
Níveis de tensão muito altos podem acarretar em perda capilar acentuada. O sentimento compromete o sistema circulatório
periférico, afetando a fixação dos fios. Taxas elevadas de cortisol no organismo (hormônio do estresse) também estão na lista dos fatores que comprometem a saúde capilar. Aqui o melhor a fazer é relaxar!


4 PROBLEMAS NA TIREOIDE
Com forma bem parecida com a de uma borboleta, a tireoide fica localizada na parte do pescoço, logo abaixo do pomo de adão. Fundamentais para o funcionamento de órgãos importantes como o coração, o cérebro, o fígado e os rins, ela produz os hormônios T3 (triiodotironina) e o T4 (tiroxina). Quando não funciona direito, pode liberar hormônios em quantidade insuficiente, causando
o hipotireoidismo, ou em excesso, ocasionando o hipertireoidismo. No caso de hipotireoidismo, tudo passa a funcionar mais lentamente: o intestino fica preso, o coração bate mais devagar, a memória pode falhar, o cansaço aumenta, há ganho de peso e pode ocorrer queda de cabelo. Exame de sangue pode diagnosticar o problema.


5 DOENÇAS AUTOIMUNES
Alopecia areata, lúpus e psoríase são algumas doenças autoimunes que acabam atacando os órgãos e tecidos do próprio corpo e causam a descamação da pele (e do couro cabeludo), além de modificar a saúde dos fios e causar a queda em certas áreas. Nesse
caso, o melhor a fazer diante de sintomas estranhos é procurar um médico para entender o que há.


6 ALOPECIA ANDROGENÉTICA
Acontece quando a testosterona (presente em ambos os sexos) se transforma em DhT, substância que, no couro cabeludo, gera miniaturização dos fios, até que os cabelos caem e não voltam a crescer. “Não tem cura, porém tem tratamentos, e a única solução
quando já houve a perda capilar e já existe a calvície é o transplante, que retira, do próprio paciente, os fios saudáveis e os transplanta para as áreas sem cabelo”, explica Thiago Bianco, especialista em restauração capilar.


Qual o melhor tratamento?
Segundo Bianco, toda queda capilar acima do normal, que já leva ao aparecimento de transparência do couro cabeludo, deve ser investigada e tratada. Uma dieta equilibrada e mudança de hábitos já costumam aliviar o problema. Além disso, o médico pode receitar medicamentos específicos para a queda. “Quadros iniciais respondem bem ao tratamento e quadros mais avançados tem como melhor solução o transplante capilar”, diz o especialista.

17/04/2017 - 16:00

Conecte-se

Revista Ana Maria