A hora e a vez do cabelo grisalho

Inspire-se em quem é feliz com os fios brancos e conheça os produtos para assumir lindamente os seus

Luciana Bugni e Raquel Maldonado

A hora e a vez do cabelo grisalho | <i>Crédito: Arquivo pessoal/Rafael Campos/TVGlobo/Camilo Brunelli/Renato Rocha Miranda
A hora e a vez do cabelo grisalho | Crédito: Arquivo pessoal/Rafael Campos/TVGlobo/Camilo Brunelli/Renato Rocha Miranda
Os 6 mandamentos da grisalha
O cabeleireiro Wanderley Nunes dá preciosas dicas para quem deseja abrir mão das tinturas e assumir os grisalhos que o tempo lhe deu!

 Assumir o grisalho implica estar sempre com o corte em dia – ou parecerá desleixada.

Qualquer corte vai bem com o grisalho – basta combinar com o formato do rosto e não ser comprido demais (o look fica pesado).

Use os famosos “xampus roxos”, que ajudam a manter o tom mais cinza do cabelo.

Para evitar cabelos amarelados, só use produtos de confiança. Importante: os xampus desamareladores não “abrem” a cor do cabelo – elas apenas eliminam o amarelado.

Evite usar químicas fortes e hidrate sempre.  Secadores e prancha ajudam a alinhar os fios, que tendem a ficar mais rebeldes quando grisalhos.


Vera Holtz: "Estereótipos visuais não podem me impedir de envelhecer"


Não tenho... e quero ter!
Seja qual for o tom do seu cabelo, terá de descolori-lo ao máximo! Quanto mais perto do branco, mais fácil platinar e construir um degradê cinza. Faça a descoloração do ponto em que deseja que o degradê comece até as pontas. Use matizadores para platinar os fios. Com eles claros, passe os tons de cinza, do mais escuro ao mais aberto, deixando as pontas quase brancas.




Claudia Gianini, 48 anos, atriz, São Paulo, SP

Tenho cabelos brancos, e daí?

Mulheres reais falam, com orgulho, da decisão de assumir de vez os fios grisalhos

"Desde 2008, não pinto. Amo meu cabelo e, ao assumir os grisalhos, me conectei comigo de novo. Ainda tem gente que diz que
eu ficaria mais jovem se pintasse... Respondo que não quero parecer mais jovem, que gosto de mim como sou e com a idade que tenho.”




Vera Lucia Margutti, 56 anos, psicopedagoga e escritora, Maringá, PR

"É um alívio ficar livre das tinturas! Especialmente por saber que estou contribuindo com minha saúde, evitando um pouco o acúmulo de metais pesados em meu corpo. Também dei adeus à boa parte dos gastos em salões, ao tempo perdido e ao ritual mensal que as tintas demandavam.”




Sivoneide Rodrigues, 50 anos, comerciante, Campinas, SP

"Resolvi assumir os brancos por falta de tempo e de dinheiro. Em 2013, abri meu comércio e isso tomava meu tempo. Também precisei economizar. Certa vez, uma cliente ficou indignada e disse que eu iria acabar pintando... Dali em diante, fiquei mais firme na minha decisão (risos).”



Cássia Kis: corte moderno cria um contraponto surpreendente

04/11/2016 - 14:00

Conecte-se

Revista Ana Maria