A transição capilar traz seus cachos de volta

Se você quer parar de alisar o cabelo e assumir aquele cacheado poderoso, está lendo a matéria certa. O resultado vale a pena!

Júlia Arbex

A transição capilar traz seus cachos de volta | <i>Crédito: Shutterstock
A transição capilar traz seus cachos de volta | Crédito: Shutterstock

O que é a transição?
É o processo de abandono das químicas de alisamento, como a progressiva e o relaxamento, a fim de trazer de volta o cabelo. “A mulher que decide entrar na transição precisa ter paciência e força de vontade para deixar o cabelo crescer, pois terá que conviver com duas texturas capilares: enrolado na raiz (o cabelo novo que está crescendo) e liso no comprimento e nas pontas”, explica Ricardo Medeiros, hairstylist
especializado em cabelos afro no salão Detrich (SP).

O Grande Corte
Porém, a maioria das mulheres não aguenta passar pela transição durante muito tempo, pois a diferença entre as duas texturas capilares é tão gritante que incomoda. “Muitas esperam um tempinho para que os fios comecem a crescer e logo fazem o big chop (o grande corte, em português), para tirar toda a parte alisada dos fios”, afirma Lu Carrilho, hairstylist e dona do canal Lu Carrilho no YouTube.

Sobrevivendo
Ter paciência é o primeiro conselho. E para passar pela transição capilar sem muito choque, muitas acabam escovando o cabelo com secador
para disfarçar os cachos que estão nascendo e investindo nas faixas e nos turbantes. Mas para o cabelo crescer bonito e saudável, é preciso
de cuidados constantes. São eles:

■ A hidratação repõe a umidade do cabelo, deixando-o brilhante e macio. Faça uma vez por semana.
■ “Já a nutrição serve para repor a oleosidade do cabelo. Neste caso, além de deixá-lo sedoso, o tratamento lubrifica os fios, deixando-os mais fortes e sem pontas duplas. Faça uma vez por semana”, diz ele.
■ Há também a reconstrução. “Ela serve para fortalecer os fios, devolvendo a eles massa, proteína e aminoácidos. O ideal é que um profissional avalie e indique o procedimento, pois fazer reconstrução demais pode deixar quebradiço e espigado”, afirma ele.

Lidando com duas texturas capilares
Além dos cuidados citados acima, Lu indica fazer umectação capilar quinzenalmente. “Umectar os fios com óleos vegetais, como azeite de oliva extravirgem ou óleo de coco, por exemplo, combate o ressecamento e o frizz, além de proporcionar brilho e sedosidade”, explica ela. Depois de escolher o óleo vegetal, distribua-o mecha por mecha no cabelo seco (não é necessário estar lavado), massageando o couro cabeludo para ajudar a circulação sanguínea e estimular o crescimento dos fios saudáveis. Deixe agir por 40 minutos. Lave e finalize como de costume.
■ “Escolher produtos como gel, creme para pentear e ativador de cachos específicos é fundamental. Se tiver agente de fixação, que ajuda na
memorização dos cachos, melhor. Aí, é possível utilizar as técnicas como a do dedoliss, twister, bigoudis e fitagem para garantir uma definição perfeita”, explica a técnica da marca Salon Line, Débora Venâncio. Para fazer a fitagem:

 Lave o cabelo normalmente e tire o excesso de água com uma toalha fina ou camiseta.
 Divida o cabelo em mechas finas, começando da nuca.
 Coloque na mão uma quantia de creme para pentear suficiente para a mecha.
 Penteie mecha por mecha com os dedos, distribuindo o produto.
 Faça isso por todas as mechas.
 Quando acabar, amasse as “fitas” de baixo para cima.
 Espere secar e veja como o seu cabelo vai ficar ondulado!

Produtos aliados
De acordo com Débora, os processos químicos de alisamento do cabelo são tão intensos, que produtos detox e xampus antirresíduos não
conseguem tirar toda a química. “Portanto, durante o período de transição, procure sempre escolher produtos específicos para esta fase, pois eles têm ativos que irão harmonizar a diferença predominante entre a raiz e as pontas”, afirma. Na embalagem está escrito “ideal para transição”.

Mais maravilhosa do que nunca!

“Comecei a alisar meu cabelo com escova e chapinha quando tinha 11 anos. Queria muito ter ele liso porque era o único tipo de cabelo que eu achava bonito. Quando completei 14 anos, fiz meu primeiro e único relaxamento. Mas como meu cabelo é fino e pouco, o procedimento o deixou todo colado na cabeça. Não gostei! Foi aí que começou meu processo de transição capilar: fui deixando o cabelo crescer, disfarçando as duas texturas capilares com coque e alisando com escova e secador. Desde 2014, quando cortei e meu cabelo passou a ter forma, tenho
cuidados redobrados com meus cachos. Faço hidratação profunda uma vez por semana e técnicas para definição, como fitagem, três vezes na semana. Criei um canal no YouTube, em que falo sobre cuidados com o cabelo e maquiagem, o que hoje ajuda muitas mulheres que estão na luta para terem seus cachos de volta.”

Bruna Ramos, 22 anos, dona do canal Bruna Ramos no YouTube

24/11/2017 - 16:00

Conecte-se

Revista Ana Maria