Álcool e remédio não combinam

O álcool pode diminuir ou, em alguns casos, até acentuar o efeito do medicamento

Álcool e remédio não combinam | <i>Crédito: Shutterstock
Álcool e remédio não combinam | Crédito: Shutterstock
 “É verdade que não pode misturar bebida alcóolica com remédio?” 


Sim, é bom evitar essa combinação. O álcool pode diminuir ou, em alguns casos, até acentuar o efeito do medicamento. Tudo depende do tipo de remédio, do organismo de cada pessoa e também da quantidade de bebida ingerida. Se você tomar uma lata de cerveja, uma taça de vinho ou até 40 ml de uísque ou vodca, o risco de algo acontecer é pequeno (mas existe). Porém, se ingerir mais do que isso, a chance de comprometer a eficácia dos remédios é maior. É assim nos casos de antibióticos, anti-inflamatórios, anticoagulantes e analgésicos.

Já a combinação de álcool com medicamentos psiquiátricos, como os antidepressivos ou ansiolíticos, pode sedar os pacientes, deixando-os incapazes de realizar tarefas simples, como andar e até mesmo se comunicar. 



Fonte: Patrícia Cruz, nutricionista e mestre em Ciências pela Faculdade de Saúde Pública da USP 


Envie suas perguntas aos nossos especialistas pelo e-mail anamaria@maisleitor.com.br

14/06/2016 - 14:00

Conecte-se

Revista Ana Maria
Coleção CARAS