Cuidar da pele é muito mais que vaidade

Três anos depois de ter um câncer de pele na perna, Silvio Santos voltou a ter um tumor

Júlia Arbex

Silvio Santos | <i>Crédito: Reprodução/Instagram
Silvio Santos | Crédito: Reprodução/Instagram

O tipo de câncer mais frequente no Brasil é o de pele. Segundo o Inca (Instituto Nacional de Câncer), embora o melanoma seja o menos comum (representa só 5% de todos os casos), é o mais grave, podendo ser fatal. Já os tipos não melanoma (carcinoma basocelular e carcinoma espinocelular) são os de maior incidência e mais baixa mortalidade.

Três anos depois de ter um câncer de pele na perna, Silvio Santos voltou a ter um tumor, só que dessa vez, na testa. Elimar Gomes, dermatologista e parceiro do grupo de conscientização Melanoma Brasil, esclareceu todas as suas dúvidas sobre a doença.

Os principais fatores de risco

 ✔ Se expor ao sol com frequência e durante muitas horas seguidas.

 ✔ Ter sofrido queimadura na infância ou na adolescência.

 ✔ Ter feito em algum momento da vida bronzeamento artificial.

 ✔ Ter a pele clara, cabelo loiro e olhos azuis.

 ✔ Ter algum parente próximo com câncer de pele.

 ✔ Envelhecer. Os melanomas podem aparecer em qualquer idade, mas seu surgimento é mais comum após os 40 anos.

Diagnóstico

Quanto mais cedo o paciente descobrir a doença, maiores são as chances de cura. Segundo Gomes, existem duas formas de diagnosticar o problema logo. O primeiro é ir ao dermatologista pra consultas de rotina. O segundo é ainda mais fácil: realizar o autoexame pelo menos uma vez por mês. É assim: você deve examinar cuidadosamente sua pele sem roupa no espelho e procurar por pintas e manchas. Fique atenta àquelas que mudarem de cor ou de formato.

Cuide-se!

Não se exponha ao sol, principalmente, entre 10h e 16h. Evite fazer bronzeamento artificial. Passe protetor solar fator 30 ou mais todos os dias e reaplique-o a cada duas horas. Segundo o dermatologista, é importante usar o filtro até mesmo nos dias frios, nublados e com chuva, porque o sol sempre está lá, mesmo que não apareça. E não dispense o chapéu e os óculos escuros. Vá ao dermatologista pelo menos uma vez ao ano para um exame completo.

09/03/2017 - 15:16

Conecte-se

Revista Ana Maria