Idade é relativo! Mastigar direito garante a nutrição

A dentição é um problema de saúde endêmico que impacta na vida do idoso

Dr. Paulo Camiz

Idade é relativo! Mastigar direito garante a nutrição | <i>Crédito: Shutterstock
Idade é relativo! Mastigar direito garante a nutrição | Crédito: Shutterstock
"Cuido da minha tia de 82 anos. Ela está com dificuldade para mastigar e isso está prejudicando a sua nutrição. O que eu devo fazer?” 

T. P., por e-mail

A dentição é um problema de saúde endêmico que impacta na vida do idoso e está entre as principais causas de perda de peso na geriatria. Ou seja, além de não cuidar dos dentes como deveriam, os idosos não estão atentos às implicações disso em relação ao ponto de vista nutricional. Infelizmente, nem sempre essa questão é resolvida facilmente, pois não se trata apenas de colocar uma dentadura. Afinal, a prótese móvel implica em uma potência de mordida menor do que os dentes originais são capazes de realizar. Mas e a prótese fixa, como implantes dentários? A técnica exige um suporte do já desgastado osso que sustenta a arcada dentária e ela nem sempre é possível. Diante desse cenário, leitora, é preciso procurar um dentista para melhorar o máximo possível a mordida da sua tia. Depois, deve se fazer uma análise de como está se dando a ingestão de nutrientes. Em geral, ocorre grande carência de proteínas, pois quase sempre elas são de consistência mais dura e, consequentemente, de difícil mastigação. Constatada a carência proteica – ou de qualquer outro nutriente –, o próximo passo é repor essa falta. Além disso, deve-se manter sempre a atenção voltada para a possibilidade de realizar uma dieta nutritiva e mais próxima à realidade do idoso. 

Quem cuida desde jovem sofre menos 
Boa parte da saúde oral comprometida dos idosos está relacionada ao fato de, quando jovens, não cuidarem direito dos dentes. Segundo o IBGE, 18% das pessoas no Brasil nunca foram ao dentista, ou seja, quase uma a cada cinco pessoas. Além disso, dados do Ministério da Saúde mostram que, aos 5 anos de idade, mais de 53% das crianças já tiveram cárie. A porcentagem é muito alta e mostra a falta de atenção que nós temos com a higiene oral. 

Dr. Paulo Camiz é geriatra e professor da Faculdade de Medicina da USP. É também idealizador do projeto “Mente Turbinada”, que desenvolve exercícios para o cérebro. Para ler outros artigos escritos por ele, acesse ogeriatra.com.br

Envie suas perguntas para dr. Paulo Camiz pelo e-mail anamaria@maisleitor.com.br


12/07/2017 - 10:00

Conecte-se

Revista Ana Maria