Veja 5 dicas para usar salto-alto e evitar problemas na coluna

Com até três centímetros de altura, os saltos não são prejudiciais à saúde

sexta 19 abril, 2019
Salto alto
Salto alto Foto:Shutterstock

“Não sei quem inventou o salto-alto, mas todas as mulheres devem muito a esta pessoa”. A icônica frase atribuída a Marilyn Monroe é um exemplo da relação de amor e ódio das mulheres com o salto-alto.

Sinônimo de feminilidade e elegância, esse tipo de sapato pode ser também desconfortável e prejudicar as articulações dos pés. 

Veja mais

No entanto, Cristina Lopes, coordenadora técnica e podóloga da Doctor Feet, avalia que quando possuem até três centímetros de altura, os saltos não são prejudiciais à saúde, e podem até trazer benefícios, como ajudar no processo circulatório.

“O salto, quando muito alto ou fino, faz com que a pessoa descarregue o peso do corpo somente na parte da frente dos pés, o que leva a calosidades”, comenta a especialista.

AnaMaria ensina abaixo cinco dicas para quem faz uso mais frequente desse tipo de sapato e quer evitar problemas.

1- Escolha modelos com salto mais grosso ou Anabela
Quanto mais largo o salto, melhor ele distribui o peso do corpo e ajuda na estabilidade, diminuindo a tensão entre os dedos e o calcanhar. O uso de sapatos pouco confortáveis pode gerar tensão nos pés e desencadear um processo inflamatório, levando a fascite plantar.

2- Fique atento ao formato do sapato    
Saltos de bico-fino, por exemplo, espremem os dedos, o que leva a formação de calos dorsais. O sobrepeso também é outro problema que exige atenção no formato do sapato, que deve distribuir bem o pé e trazer ainda mais sustentabilidade. 

3- Palmilhas e protetores
Protetores de calos e dedos ajudam a diminuir o desconforto do salto e impedem que o atrito entre o material e a pele prejudique ainda mais problemas como calos e fascite-plantar.  

4- Massageie os pés e tornozelos após o uso do salto
Uma massagem ou escalda-pé pode ajudar a relaxar a tensão dos pés e tornozelos após um dia intenso com salto. Use um cremes específicos para essa parte do corpo, com função terapêutica de relaxamento e massageie a planta e peito dos pés para também diminuir as dores do cansaço.

5- Intercale o uso de salto-alto com baixo
Ao usar salto-alto, intercale no dia seguinte com um sapato baixo, para ajudar os pés a se recuperarem. Chinelos e rasteirinhas também não devem ser usados como se fossem sapatos normais, pois são para a praia ou piscina, não oferecem suporte ao calcanhar e ainda forçam o joelho. 

Da Redação
Leia Mais:

Assine a Revista Digital

Bate Bola na Cozinha

BEM-ESTAR

  1. 1 ''Meu filho usa bombinha para asma. Faz mal para o coração?''
  2. 2 Saiba tudo sobre o Parkinson, o distúrbio que surge pela morte dos neurônios
  3. 3 Conheça as 12 orientações europeias que previnem todo tipo de câncer
  4. 4 Maracujá: superalimento muito além de um calmante natural
  5. 5 Comer demais (ou de menos) pode ser um grave problema