Você é uma compradora IMPULSIVA?

Quatro em cada 10 brasileiros admitem que quase sempre cedem aos desejos quando querem muito comprar algo. E você, faz compras de maneira consciente ou consome mais do que deve quando está triste ou muito feliz?

Você é uma compradora IMPULSIVA? | <i>Crédito: iStock
Você é uma compradora IMPULSIVA? | Crédito: iStock

1 Seu filho precisa de um tênis. Vocês vão ao shopping e ele quer o mais caro da loja. O que faz: 
A. Mantém seu objetivo de comprar um tênis com melhor custo-benefício e explica os motivos pra ele.

B. Tenta entrar em um acordo com o garoto, mas se ele quiser muito a peça, acaba cedendo.

C. Deixa o menino escolher o tênis que quiser. Afinal, ele precisa da peça e você não vai fazê-lo aceitar qualquer coisa.

 

2 Seu celular é bom, mas acaba de sair o novo modelo da marca mais desejada do momento. Como reage:
A. O que importa é a funcionalidade do celular. Por isso, nem liga.

B. Admite que ficou com vontade de comprar. Então, analisa se não vai precisar mesmo da troca.

C. Não pensa duas vezes. É para esse tipo de coisa que serve o cartão de crédito e o parcelamento “sem juros” não é?

 

3 No trabalho, todos estão combinando de ir a um restaurante caríssimo, mas a sua conta está zerada. Você:
A. Fala que não vai desta vez. Se perguntarem o motivo, explica a razão sem problemas.

B. Inventa uma história para escapar do almoço. Mas, se insistirem, você acaba indo e vê no que dá depois.

C. O que importa é aproveitar. Tira dinheiro da poupança ou coloca o valor no crédito, mas ninguém vai saber que você, na verdade, está dura.

 

4 A sua promoção sairá. Basta esperar dois meses por causa da burocracia. Como se sente?
A. Fica feliz, mas continua com os pés no chão.

B. Prefere esperar a promoção sair para, assim, fazer umas comprinhas e pensar como gastará a grana extra.

C. Sabe que o dinheiro ainda não é garantido, mas acaba saindo e fazendo umas comprinhas. Afinal, você merece!

 

5 O dia não foi nada fácil e você se sente um lixo. O que faz?
A. Sai para relaxar, encontra pessoas das quais gosta, mas é raro ter vontade de comprar nesses momentos da vida.

B. Vai passear no shopping e, vez ou outra, acaba fazendo uma comprinha básica.

C. Compra mesmo! Nada como uma calça nova ou vestido lindo para elevar a autoestima.


6 Você acabou de perder o emprego. Como reage?
A. Tenta ser prática. Explica a situação à família e monta um plano com sua reserva financeira.

B. Fica sem chão por uns dias e não pensa em cortar gastos. Mas depois se recompõe e vê o que faz.

C. Usa parte do dinheiro da rescisão para uma viagem dos sonhos. Você precisa disso!

 

7 Está tensa e vai ao shopping para a estreia de um filme no cinema. Como se comporta?
A. Chega ao local e já parte direto para as salas de filme.

B. Vai ao cinema e, depois, sempre dá uma voltinha, pois bater perna te acalma. Mas só compra se for uma promoção ou se valer muito a pena.

C. Já se programa para passar horas no shopping e sempre acaba comprando alguma coisa.


8 Você precisa de uma calça jeans, mas quando chega à loja, quase tudo está em promoção! Qual sua reação?

A. Compra apenas o que precisa e parte.

B. Tenta se controlar, mas dá uma garimpada pra ver se não tem nada mesmo de que não precise.

C. Aproveita os descontos e já compra várias peças.

 

9 É aniversário da sua mãe e você quer comprar um presente incrível para ela. Como se programa para isso?
A. Já separa um dinheiro extra para fazer a compra. Mas nada muito caro ou luxuoso.

B. Compra algo que, com certeza, vai impressionar sua mãe positivamente e, se for necessário, parcela a compra.

C. Você já se enrolou dando presentes muito caros para ela, mas não tem problema, afinal, ela merece muito.

 

10 O aniversário do seu filho está chegando e você ama fazer festa. Como será este ano?
A. Analisará sua situação financeira para ver se dá pra fazer uma festinha. Se não puder, paciência...

B. A festa tem que sair, mas se você está sem grana, faz uma coisinha menor.

C. Prepara uma comemoração de arromba, mesmo se as coisas estiverem apertadas.

RESULTADO
MAIORIA DE A

Nada de misturar suas emoções com gastos e compras! Você ri, chora, mas nada afeta como encara suas finanças. Não vê sentido
em acompanhar a turma no almoço caro se, depois, terá problemas com dinheiro. Você faz contas e só compra algo se precisar. Nem as chantagens infantis ou uma boa ou má notícia a tiram do eixo. Agora, é a hora de pensar no futuro e fazer uma reserva para emergências e um investimento.

MAIORIA DE B
Você tenta se controlar, mas nem sempre consegue. Sabe que precisa se organizar financeiramente e que uma compra fora de hora pode atrapalhar seus planos, mas perde o foco. Isso acontece porque o ato de consumir, de ter “domínio” sobre a compra, inunda o cérebro com as “serotoninas” do prazer. O perigo: existe uma tendência de repetir a experiência quando possível. Você precisa
controlar melhor suas emoções. Da próxima vez que ficar com vontade de comprar, pense se realmente precisa ou se não é um impulso.

MAIORIA DE C
Cuidado! As emoções afetam, e muito, suas decisões de compra. Seu sobrenome é impulsividade. Quando qualquer sentimento  toma conta de você, não pensa racionalmente. Assim, não deixa de comprar nada do que gosta e não faz planos financeiros a curto ou longo prazo. Essas atitudes podem trazer preocupação, frustração e tristeza. Afinal, desorganização financeira, falta de grana e inadimplência causam problemas graves. Por isso, cuidado para não entrar no vermelho. Perceba essas emoções e o que faz com elas. Sair com pouco dinheiro de casa, sem cheque, ter um cartão de crédito com limite pequeno e bloquear sites de compras podem ser boas maneiras de você se policiar

FONTE: JOSÉ VIGNOLI, EDUCADOR FINANCEIRO DO PORTAL MEU BOLSO FELIZ

16/08/2018 - 10:00

Conecte-se

Revista Ana Maria