Você no azul: Consequências das dívidas

Quando você atrasa uma dívida, pode mesmo ficar com o nome sujo

Marcela Kawauti

Você no azul: Consequências das dívidas | <i>Crédito: Shutterstock
Você no azul: Consequências das dívidas | Crédito: Shutterstock
Além de ficar com o nome sujo, o que mais pode acontecer se eu atrasar uma dívida? Também posso ir presa? Toda dívida tem o mesmo peso?”

M. L., por e-mail


Quando você atrasa uma dívida, pode mesmo ficar com o nome sujo. Isso significa que o seu CPF será incluído numa lista de pessoas com contas em atraso. É importante lembrar, no entanto, que a maioria das empresas, antes de proceder com a negativação, faz algum contato com o consumidor para tentar receber o valor de forma amigável. Essa lista serve para que instituições de crédito (bancos, financeiras, lojas que oferecem crediário etc.) tenham informações sobre a situação atual dos consumidores com relação ao pagamento das pendências. Quando a consulta ao CPF é feita, a empresa consegue enxergar o valor e o tipo de dívida não paga. Isso quer dizer que as dívidas têm, sim, o mesmo peso na negativação e na consulta. Entretanto, a decisão de negar ou não o crédito pode ser bem diferente para uma dívida de R$ 100 e outra de R$ 10 mil. Com esses dados em mãos, a empresa decide se quer ou não conceder crédito a esse consumidor e ajusta as taxas de juros ao risco de inadimplência. Ou seja, quem está com o nome sujo tem mais dificuldade em conseguir crédito. Além disso, quando consegue, paga mais caro por ele. Com relação à prisão por dívidas, não se preocupe. No Brasil não há esse risco – exceção, apenas, para não pagamento de pensão alimentícia. Ou seja, no caso de inadimplência, a principal consequência é a dificuldade de acesso ao crédito, o que até pode ser positivo para evitar o superendividamento do consumidor.


Nome sujo. E aogra?
Coloque todos os gastos no papel e decida quanto será direcionado ao pagamento da dívida. Se não tiver condições de pagar, considere uma nova fonte de renda ou venda um bem, como um carro, por exemplo. Só tome empréstimo em último caso – e sempre nas modalidades empréstimo pessoal ou consignado. Não deixe de negociar para tentar uma condição vantajosa para o pagamento. Após a quitação, a empresa tem até cinco dias úteis para tirar seu nome do cadastro de devedores.


Bons pagadores
O consumidor que desejar pode abrir um cadastro positivo em instituições como SPC Brasil e Serasa Experian. Dessa forma, as
empresas que oferecem crédito poderão conhecer o histórico de pagamentos em dia, e não somente as dívidas em atraso. A vantagem é que os bons pagadores podem ser beneficiados com juros menores e maior acesso ao crédito.



Marcela Kawauti é formada em economia pela USP e tem mestrado da FGV. Com mais de dez anos de experiência, é economista-chefe do SPC Brasil e colaboradora do portal de Educação Financeira Meu Bolso Feliz.


Envie suas perguntas para Marcela Kawauti pelo e-mail anamaria@maisleitor.com.br

25/11/2016 - 10:00

Conecte-se

Revista Ana Maria