AnaMaria
Busca
Facebook AnaMariaTwitter AnaMariaInstagram AnaMariaYoutube AnaMariaTiktok AnaMariaSpotify AnaMaria

Dia da Pizza: saiba porque esse é o prato predileto de muitos brasileiros

Redonda remete a afeto e reunião em família traz curiosidades, histórias e emoção quando é tradição durante anos

por Renata Rode

rodeimprensa@gmail.com

Publicado em 09/07/2024, às 12h15

WhatsAppFacebookTwitterFlipboardGmail
Gastronomia afetiva, lembranças em família, tradições e conforto: a pizza, acolhe, segundo psicóloga - Imagem Pixabay
Gastronomia afetiva, lembranças em família, tradições e conforto: a pizza, acolhe, segundo psicóloga - Imagem Pixabay

Dia 10 de Julho comemora-se o Dia da Pizza e não tem jeito, quando falamos dela já imaginamos aquela cena maravilhosa: uma mesa repleta de alegria, com sabores em oito pedaços quentinhos que aquecem o coração, além de preencher o estômago, claro. O ato de reunir-se em torno da comida é uma celebração que gera memórias afetivas marcantes, já que mexe com todos os nossos sentidos, em especial, com o paladar e olfato. Quantos de nós não se lembra de momentos descontraídos com pedaços de pizza em volta, muita animação e risadas? Para Andrea Puglisi, psicóloga e Mentora de Gestão Emocional, a pizza vai além de uma reunião de família ou hábito em algumas casas. “O prazer de uma refeição transcende o simples ato de se alimentar já que pode ser uma experiência única, rica em sensações e emoções. Degustar um prato bem preparado envolve todos os sentidos com seus aromas, sabores e texturas, proporcionando uma satisfação imediata de bem-estar maravilhoso. Além disso, a comida é carregada de histórias e memórias afetivas, trazendo lembranças de momentos especiais e criando memórias importantes”.

Informal, convidativo, intimista e até despojado. Um jantar em que o prato principal é a pizza promove, desde já, praticidade e alguns rituais que ficam na memória. “Pelo fato de ser um alimento prático, que já vem cortado e pode até ser degustado sem talheres, a pizza aproxima, conforta e oferece união, já que o ato de compartilhar promove o sentimento o sentimento de comunidade e conforto. Ainda, por ter uma base que permite diversas combinações de recheios, bordas e coberturas, a pizza se transforma em uma aventura culinária divertida, despertando o prazer, a criatividade e a curiosidade gastronômica. Ao comer com as mãos, por exemplo, as pessoas se soltam mais, sentem-se relaxadas e essa informalidade que a pizza nos proporciona, ajuda a reduzir o estresse e a promover uma sensação de bem-estar”, indica Puglisi que ainda complementa: “Só o fato de poder dividir uma pizza durante a refeição cria momentos agradáveis que geram memórias positivas, aliviam o estresse e aumentam a sensação de pertencimento e apoio mútuo. Essa convivência ao redor da mesa alimenta tanto o corpo quanto a mente, fortalecendo os relacionamentos interpessoais”.

A família que vende pizzas há gerações

Marcus Paschoal da Rede Micheluccio: pizza é o negócio da família há 55 anos / Foto: Divulgação

Se para a especialista em comportamento humano a pizza é essencial e faz parte dos momentos importantes da vida, para a família Micheluccio, que administra a rede Micheluccio Pizza Artezanalle com três filiais em São Paulo, pizza significa vida. “Perdemos apenas para Nova Iorque no consumo das redondas e não é de hoje que pizza é a minha vida. Meu pai, Miguel Paschoal, aos 87 anos acompanha ativamente o andamento dos negócios como consultor do grupo da família. Literalmente, quem está com a mão na massa diariamente somos eu, minha mãe, minha irmã e meu cunhado. Ele, permanece como consultor especial porque já está aposentado, mas a essência de tudo veio do berço afinal, o nome da rede nasceu do apelido em italiano”, conta Marcus Paschoal, diretor da marca.

Fundada há 55 anos, a rede se expandiu, com a abertura das filiais nos bairros da Aclimação, Brooklin e Morumbi, e até hoje preserva o segredo da massa exclusiva, guardado por gerações, a sete chaves. “A gente celebra mais que o sucesso de uma marca, comemora com os clientes e amigos a magia de reunir famílias, celebra o movimento afetivo gastronômico e, ainda, emprega milhares de pessoas com algo que cresceu em nossa família. Essa paixão pela pizza vem de geração para geração e como o aroma delicioso da redonda bem assada, com molho artesanal e ingredientes únicos, invade e acaricia a alma”, fala Marcus. “Até hoje repito com orgulho a história do meu pai e avô, já que Miguel Paschoal é filho de um padeiro e em 1968 montou a sua primeira pizzaria na Rua da Consolação, em frente o Cine Belas Artes, sem nome. Após alguns anos seu amigo sugeriu que ele colocasse seu apelido na fachada e então surgiu a Micheluccio”.

O negócio da redonda em números

Calabresa é o sabor mais pedido no Brasil, seguido pela tradicional Muçarela / Foto: Divulgação

De acordo com Leandro Goulart, presidente da Associação Pizzarias Unidas do Brasil (Apubra) os números dizem tudo: "De acordo com dados obtidos a partir da pesquisa Mercado de Pizzarias 2023, compreendendo o número de pizzarias ativas que foram levantadas no mapeamento, no Brasil, são produzidas 1,9 milhões de pizzas diariamente, ou seja, produzimos cerca de 1.300 pizzas por minuto em todo o país sendo que só no Estado de São Paulo são produzidas mais de 15 milhões de pizzas por mês". Ainda outras curiosidades: no ranking dos sabores mais pedidos, de acordo com base no levantamento Perfil Profissional, Pizza e Panorama do Mercado, realizado em 2023, a pizza de calabresa está em primeiro lugar, representada por 38,2% dos pedidos das pizzarias. Já o segundo sabor mais consumido é o de muçarela, que concentra 16,2% dos pedidos, seguido pela pizza de margherita, em terceiro lugar com 13,2%, portuguesa em quarto lugar, com 10,3%, e frango em quinto lugar, com 4,9%.

De acordo com o levantamento, as pizzarias estão cada vez mais preocupadas em atender a demanda de consumidores adeptos a dietas mais restritivas, com a oferta de opções veganas e vegetarianas, que já compõem o cardápio de 55% dos estabelecimentos pesquisados. Atualmente, 64,7% das unidades mapeadas possuem opções com zero lactose, massa integral, sem glúten ou variações veganas e vegetarianas. Isso mostra a diversidade da produção de pizzas no Brasil.

Que a pizza faz bem pra saúde mental, a gente já sabe, mas como será que fica a saúde do corpo ao não resistir à uma pizza quentinha? É possível comer pizza e não escorregar tanto na dieta? Segundo o médico integrativo Dr. Enrique Lora, sim. “É possível comer pizza de uma forma mais saudável. A pizza, muito embora seja vista como um grande vilão no processo de emagrecimento, pode conter ingredientes e compostos que podem ser saudáveis ou muito menos nocivos à saúde como são de costume”, explica. A primeira coisa muito importante para a gente levar em consideração é a massa. “A fermentação natural já é sabida que é um processo de fermentação mais saudável, onde as moléculas de glúten já são quebradas e faz com que essa massa seja muito mais digerível, por assim dizer, evitando muita inflamação. O queijo é o segundo protagonista da história e uma boa opção de recheio. Existem queijos vegetais que agradam vários paladares, mas também existem outros queijos que são muito gostosos. Queijos mais curados são mais saudáveis. A muçarela de búfala é uma ótima opção e está super presente nos cardápios de várias pizzarias”, ensina.