AnaMaria
Busca
Facebook AnaMariaTwitter AnaMariaInstagram AnaMariaYoutube AnaMariaTiktok AnaMariaSpotify AnaMaria

Jovem de 24 anos fica parcialmente paralisada após batida na cabeça

Médicos explicam lesão e orientam o que fazer ao presenciar acidente: tipo de impacto e cuidados após o trauma podem ser decisivos para recuperação

por Renata Rode

rodeimprensa@gmail.com

Publicado em 16/05/2024, às 09h55

WhatsAppFacebookTwitterFlipboardGmail
Na imagem é possível identificar Bird Piché bem em frente ao palco instantes antes de ser atingida. - Reprodução / Instagram Montagem
Na imagem é possível identificar Bird Piché bem em frente ao palco instantes antes de ser atingida. - Reprodução / Instagram Montagem

A jovem Bird Piché, de 24 anos, está parcialmente paralisada e só consegue mover os braços depois que o vocalista da banda de punk rock Trophy Eyes pulou do palco no meio da multidão e acertou em cheio a cabeça dela durante uma apresentação em Nova York, nos Estados Unidos. De acordo com um boletim divulgado pela NBC News ela teve uma grave lesão na medula e está sem os movimentos do corpo. "Quando você ouve falar desses tipos de lesões, elas são obviamente muito graves, então eu não esperava ter nenhuma recuperação" disse à reportagem. A equipe médica envolvida declarou que as expectativas são as melhores e que a jovem pode sim voltar a recuperar a mobilidade.

De acordo com o Dr. Carlos Cedano, Ortopedista e Chefe da Equipe de Ortopedia do Hospital Regional de Cotia, o impacto na cabeça pode sim gerar paralisia.  “Pode haver uma lesão diretamente na área motora do cérebro ou pode indiretamente causar uma lesão da medula dentro da coluna devido à compressão que essa sofre pelo trauma na cabeça, o que parece ser o caso em questão”, explica.

Segundo Cedano, a paralisia pode ser temporária ou permanente, dependendo do grau de lesão da medula. E isso pode ser mais bem avaliado pelo exame neurológico e pela evolução deste e pelos exames de imagem, por isso, é necessário acompanhar o desenrolar do quadro. “Muitas vezes é difícil prever se a lesão é temporária ou definitiva no primeiro momento. Existem sinais no exame clínico neurológico (características da perda de força, alterações de sensibilidade, alterações nos reflexos) e nos exames de imagem que indicam maior gravidade e pior prognóstico, mas a definição se a lesão é definitiva ou não em geral é difícil no primeiro momento”, ressalta.

O Dr. José Machado Jr. concorda com a explicação de Cedano. “Para entender se uma lesão na medula espinhal é temporária ou permanente, os médicos observam como o paciente responde ao tratamento nas primeiras 48 horas depois do acidente. O exame físico feito pelo médico é muito importante e outros exames como a ressonância magnética são usados para ver o quanto a medula espinhal foi danificada e quais são as chances de recuperação”, detalha o também Ortopedista e Traumatologista pela Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia.

A banda se pronunciou por meio de um comunicado oficial à imprensa que resumidamente diz: "Por respeito à família, até agora nos abstivemos de falar sobre isso publicamente, mas com a bênção deles, agora podemos dizer o quanto estamos verdadeiramente desolados por estarmos aqui. Essa situação nos abalou profundamente e pedimos paciência enquanto procurarmos ajudar Bird a passar por esse momento difícil". Os músicos abriram uma vaquinha para arrecadar dinheiro e custear todo o tratamento da fã.

O que fazer ao presenciar um acidente

A pedido de Ana Maria Digital, o Dr. José Machado Jr. explicou o que devemos fazer se presenciarmos um acidente como o relatado. “Sempre é bom salientar que a vítima deve ser deixada deitada até chegar socorro especializado e só deve ser movida em bloco (em prancha) e com o pescoço imobilizado. Se alguém bater a cabeça, é muito importante não mexer na pessoa, a não ser que seja muito necessário, como em um afogamento. Isso é para não machucar mais a coluna. Ligue logo para o socorro. Se estiver sangrando, use um pano limpo para pressionar de leve o ferimento. Não tente arrumar a coluna ou mover a pessoa. Fique calmo para ajudar a vítima a se sentir segura”, pontua.

E continua: “Todo ano, mais de 10 mil pessoas sofrem lesões graves na coluna no país. Essas lesões não são tão comuns quanto outros tipos, mas são muito sérias quando acontecem. Podem ser causadas por vários acidentes, como quedas, batidas de carro e durante esportes, mas é importante salientar que não é qualquer batida na cabeça que vai machucar a coluna; isso depende de quão forte e de que jeito foi o impacto”, ressalta.

Ainda, segundo os médicos, um trauma direto na cabeça pode causar lesão cerebral, geralmente com outras alterações neurológicas, além da paralisia.  “Um trauma na cabeça causando lesão medular acontece quando esse trauma causa compressão da coluna ou quando causa extensão ou flexão excessivas. A grande maioria dos traumas na cabeça não vai causar lesão, mas um trauma de maior intensidade pode causar sim. A incidência não é alta, mas suas consequências para o paciente podem ser devastadoras, de modo que é muito importante a prevenção desse tipo de acidente”, finaliza o Dr. Carlos Cedano.