AnaMaria
BBB / Arrependido

No 'Domingão', Arthur reconhece erro com Carla Diaz: ''Meti os pés pelas mãos''

Ex-BBB relembrou os momentos marcantes dentro do jogo

Da Redação Publicado em 02/05/2021, às 19h25 - Atualizado às 19h25

Arthur no 'Domingão' - TV Globo
Arthur no 'Domingão' - TV Globo

Os recém eliminados Arthur Picoli, Pocah e Viih Tube participaram do ‘Domingãona noite deste domingo (2). Desde que saiu do confinamento, o instrutor de crossfit tem se mostrado bastante arrependido pela forma que levou seu relacionamento com Carla Diaz e, dessa vez, não foi diferente. 

Logo no início do bate-papo, a comentarista do programa alfinetou Arthur, afirmando que ele valorizava até demais sua amizade com Projota: “O relacionamento dele com o Projota, estava sendo mais importante que o relacionamento dele com a Carla”.

O ex-BBB, por sua vez, tentou se justificar enquanto relembrou a parceria com o rapper no início do reality: “O primeiro dia no loft, parecia que já estava um ano ali. Quando entrei na casa, ele era a pessoa mais próxima a mim. Quando entrei na casa, ele era a pessoa mais próxima a mim e eu comecei sim, ir na onda da galera”.

“Lá dentro, a gente não aceita muito que foi influenciado, mas é como se a gente estivesse seguro naquele meio”, acrescentou.

Na sequência, a palavra foi passada para a bailarina Mayara, que criticou a postura do eliminado com Carla e relembrou o interesse dele em Thaís. “Eu concordo, de certa forma na hora do jogo, a gente acaba metendo os pés pelas mãos. Mas ali as coisas são muito de verdade, o sentimento vem mesmo”, respondeu ele.

O crossfiteiro ainda reforçou que o sentimento pela atriz era verdadeiro, sem qualquer intenção de jogo: “Em momento algum, como falei diversas vezes, não foi questão de jogo. Se fosse, eu estaria lá até agora”.

E, como de costume, o episódio da polêmica prova em que Carla desmaiou veio à tona. Questionando o socorro que ele deveria ter dado para a amada, Faustão chegou a afirmar que Arthur não estava “nem aí", ao que ele logo rebateu: “Eu tentei dar o suporte, eu sei que eu deveria sim, ter ido lá, mas na hora da prova a gente fica com medo, não tem informação”.

Mesmo assumindo o erro, ele finalizou a argumentação: “Mas sabendo que tinham três pessoas... A Juliette e mais duas pessoas fora da prova, me deu uma tranquilidade. Mas se precisassem de mim, eu estaria ali”.