AnaMaria
Bebês / Dicas

Como saber se meu pet é ansioso? Aprenda a identificar os sinais e garanta seu bem-estar

Aprenda a identificar os sinais de ansiedade e garanta bem-estar emocional ao seu animal de estimação

Da Redação Publicado em 19/04/2022, às 09h20

Assim como os humanos, gatos e cães podem apresentar sinais de ansiedade. - Matthew Henry/Unsplash
Assim como os humanos, gatos e cães podem apresentar sinais de ansiedade. - Matthew Henry/Unsplash

Quando se trata de saúde pet, a tendência é sempre pensarmos no bem-estar físico dos animais. No entanto, assim como os humanos, a parte emocional também é de grande importância para eles. Sabia que gatos e cães podem apresentar sinais de ansiedade também?

De acordo com a veterinária Natália Lopes, da Royal Canin, normalmente, o sentimento estará ligado com alguma forma de frustração do animal. Por exemplo, quando ele não puder realizar atividades comuns de sua espécie, como um gato sendo impedido de escalar, ou cães sendo privados de cavar.

Para entender um pouco mais a fundo os riscos, os sintomas e as formas de prevenção da ansiedade nos pets, AnaMaria Digital traz alguns pontos de atenção aos tutores.

COMO A ANSIEDADE PODE SER UM PROBLEMA PARA SEU PET?

Uma vez que o pet não está com sua saúde emocional estabilizada, alguns problemas físicos podem se manifestar, como inquietações muito frequentes e, em alguns casos mais agravados, os animais podem desenvolver um excesso de lambedura e até começar a arrancar a própria pelagem.

Segundo Natália, esses comportamentos não são difíceis de identificar, e uma vez percebidos, a recomendação é a ida ao Médico-Veterinário para uma avaliação aprofundada.

ANSIEDADE DE SEPARAÇÃO

Com a pandemia e o aumento considerável de presença em home office, os pets se adaptaram com uma rotina muito próxima de seus tutores, que passaram a ficar mais tempo em casa. Contudo, a normalização gradual das rotinas de trabalho nos escritórios é uma realidade, e a separação de tutores e pets pode desencadear altos índices de estresse nos animais.

“É importante preparar os pets para essa separação de forma gradual, manter um pouco da normalidade que foi estabelecida na pandemia, com alguns costumes e brincadeiras, são importantes para uma adaptação saudável.”

E COMO PODEMOS EVITAR QUE ESSA ANSIEDADE SE MANIFESTE?

É muito importante que o tutor conheça bem as necessidades do seu animal, e respeite tais instintos, principalmente quando falamos das questões relacionadas às oportunidades do pet manifestar sua natureza. Além disso, os animais se adaptam muito a rotinas, o que torna esta organização um facilitador do convívio.

Natália também traz alguns hábitos para manter seu pet mais saudável emocionalmente:

  • Tempo de qualidade com seu pet é o maior fator para que ele tenha uma vida emocional saudável;
    Atitudes antes vistas como mau comportamento, hoje podem ser indicadoras de outras questões. Os tutores devem estar atentos a sinais de falta ou excesso de apetite, sono excessivo e agitação excessiva, além de eliminação em locais inadequados, que são pontos de atenção para a saúde e bem-estar de gatos e cães;
  • Antes de alguma viagem ou separação, é recomendado aos tutores que garantam formas de entretenimento para o pet; também é preciso viabilizar um responsável para cuidar do animal em sua ausência;
  • Evite “dar muita atenção” ao momento de saída de casa, assim como ao seu retorno, para que estas movimentações não sejam relacionadas com sentimento de perda ou celebração, e provoque mais ansiedade no seu animal.