AnaMaria

Mega-hair: a tendência capilar do momento

Tem muita mulher que quer ter cabelo comprido, mas e a paciência de esperar crescer? Listamos as principais técnicas de alongamento!

Júlia Arbex Publicado em 30/10/2017, às 16h00 - Atualizado em 07/08/2019, às 17h45

Mega-hair: a tendência capilar do momento - Shutterstock
Mega-hair: a tendência capilar do momento - Shutterstock
Todas podem fazer?
“O mega-hair removível, como o de tic-tac e o de tiara, é indicado para quem quer mudar o visual em ocasiões pontuais, como para ir a uma festa ou a um evento. Já o permanente (que pode durar até três meses) deve ser feito somente nos cabelos que não estejam danificados devido a procedimentos químicos, como alisamento, relaxamento e coloração, pois só assim vão suportar o procedimento. Além disso, os fios devem ter no mínimo 6 centímetros de comprimento”, diz o terapeuta capilar Paulo Mazanandê.

Extensões de qualidade
Dê preferência ao mega-hair de cabelo humano. “Ele dá um efeito supernatural. Já o sintético, que é feito com fios de plástico, tem pouco balanço e brilho, pouca durabilidade e embaraça com muita facilidade”, diz Valdeci Soares, hairstylist da Rede Lúcio Matias.

Tira e põe
Você encontra diversos modelos de alongamentos removíveis na internet. O mega-hair da HairDo (foto), inspirado na famosa técnica “ombré hair”, é fixado no cabelo com tic-tac. Fácil, né? Os fios têm 40 cm de comprimento, foram feitos com fibras
sintéticas que aguentam o calor do secador e da prancha de até 180 ºC. Apliques Ombré Extension estão disponíveis em 6 tonalidades.

Manutenção e cuidados com os fios
■ Use xampu e condicionador normalmente.
■ Hidrate os fios semanalmente para que a extensão permaneça com o aspecto saudável e sem quebras.
■ Lave o cabelo um dia sim, um dia não para não dar cheiro nem criar fungos.
■ Penteie os fios com pente de dentes largos ou com uma escova racket para não embaraçar.
■ Lavou o cabelo pouco tempo antes de ir dormir? Seque-o com secador, pois se ficar muito tempo molhada, a extensão perde sua beleza e naturalidade.
■ Na hora de enxugar o cabelo, amasse os fios delicadamente com a toalha. Não esfregue.
■ O calor do secador e da chapinha pode comprometer a durabilidade da extensão. Por isso, use os aparelhos cerca de três dedos abaixo da raiz. Aliás, essa dica vale até para quem não tem alongamento, né? Muito calor estraga qualquer cabelo!
■ Você pode estar com mega-hair e tingir os fios, viu? No entanto, quem tem progressiva deve fazer o procedimento somente quando for trocar o aplique.
■ Faça o retoque a cada três meses, pois se não houver um descanso, o couro cabeludo pode ficar enfraquecido, o que afetará a saúde do cabelo.
■ O mega-hair removível é muito mais fácil de cuidar: basta tirar da cabeça, lavar com xampu e condicionador, e secar com
secador. Guarde-o pendurado para não embaraçar.

4 tipos de alongamento

COM FITA ADESIVA
Cada uma das mechas possui uma lâmina adesiva, que é colada intercalando com os fios naturais. Em vez de colar tufo a tufo, o profissional pode adesivar uma faixa inteira de fios em qualquer parte da cabeça. É bem mais rápido que os outros. É recomendável trocar as fitas a cada três meses.

COM QUERATINA
Esse procedimento é o mais popular entre as mulheres. “As mechinhas são separadas em tufos e coladas com queratina quente próximo a raiz tanto por cima quanto por baixo dos fios. A manutenção vai depender dos cuidados, mas, geralmente, dura de dois a três meses”, afirma Mazanandê.

DE TELA
As telinhas com cabelo são costuradas (com uma agulha semelhante a de crochê) rente aos fios naturais. “Esse método é recomendado para quem tem pouco cabelo ou fios curtos, pois alonga e dá volume de forma bem natural”, diz Florindo.

ENTRELAÇAMENTO
Geralmente é feito em mulheres negras ou em quem tem o cabelo cacheado ou crespo. “O profissional faz tranças finas rentes ao couro cabeludo. Depois, com a ajuda de uma agulha específica, ele costura e amarra telas nos fios, sempre seguindo a linha natural do penteado”, explica André Florindo, cabeleireiro e beauty artist do salão The City (SP).

Cabelo humano é caro. O aplique pode custar R$ 500. A aplicação chega a R$ 1 mil. Por isso, antes de decidir fazer, saiba que não
sai barato!