AnaMaria

Aliados contra ansiedade e depressão: saiba quais alimentos ajudam a combater as condições

Espinafre, banana e outros: saiba quais alimentos ajudam a combater a ansiedade

Karla Precioso Publicado em 24/10/2019, às 08h20

Especialista indica os alimentos que  contribuem para reduzir a inquietação e até  os sintomas de depressão - Banco de Imagem/Getty Images
Especialista indica os alimentos que contribuem para reduzir a inquietação e até os sintomas de depressão - Banco de Imagem/Getty Images

A ansiedade, quando excessiva, atrapalha o dia a dia e pode até desequilibrar o metabolismo

A nutricionista Cintya Bassi, do Grupo São Cristóvão Saúde, explica que a rotina carregada pode ser grande causadora de fadiga física e emocional, contribuindo para o desenvolvimento de quadros ansiosos. 

Segundo a especialista, é importante ter cuidado com a alimentação nesse momento, pois é frequente recorrer à comida como uma espécie de compensação ou válvula de escape. 

“É comum pensarmos que somos merecedores de determinado alimento após enfrentarmos algum problema. É o que pode fazer a vez da chamada ‘comfort food’ (comida de conforto), que traz um alívio imediato às sensações ruins”, comenta. 

Mas, para não fazer escolhas erradas e consumir alimentos que, de fato, possuem nutrientes que reduzem os sentimentos de irritabilidade, Cintya lista o que é indicado colocar no prato. Confira.

  • Acelga e espinafre: ricos em magnésio, estimulam a sensação de tranquilidade no cérebro;
  • Banana: tem alto teor de triptofano, que também ajuda na produção de serotonina e, portanto, contribui para reduzir sintomas de depressão e ansiedade;
  • Frutas vermelhas (amora, framboesa, cereja, morango e gengibre): suas propriedades antioxidantes reduzem os níveis de cortisol, combatendo a ansiedade;
  • Iogurte e vegetais em conserva: são ricos em probióticos, que, além de regular o funcionamento do intestino, reduzem os sintomas de irritação e desassossego;
  • Semente de abóbora: contém zinco, essencial para o desenvolvimento cerebral e nervoso. A deficiência do nutriente pode afetar negativamente o humor. Isso acontece porque os maiores locais de armazenamento de zinco estão nas regiões do cérebro envolvidas com as emoções; 
  • Castanha-do-pará: é rica em selênio, nutriente que melhora o humor e reduz a inflamação. Como os níveis de inflamação de pessoas que sofrem com transtornos de humor podem estar elevados, o selênio ajuda a reduzi-los, promovendo alívio;
  • Lentilha, feijão e aspargo: ricos em ácido fólico, atuam no sistema nervoso e na produção de serotonina, o hormônio do prazer, evitando a depressão;
  • Alface: contém lactucina, uma substância com ação calmante, e ácido fólico, vitamina cuja deficiência se associa à depressão.

MELHOR EVITAR 
Assim como alguns alimentos ajudam a acalmar, outros têm o efeito contrário. Comidas estimulantes do sistema nervoso devem ser consumidas com moderação. É o caso dos energéticos, refrigerantes à base de cola e cafeína, chocolate ao leite, álcool, açúcar e gordura. Entram nesse grupo alimentar: doces industrializado, refrigerantes e energéticos bebidas alcoólicas, salsicha e outros embutidos, chá-preto e café É recomendável também reduzir o consumo de carne vermelha devido à presença da tirosina, substância responsável pela produção de adrenalina, que aumenta a agitação.

DÁ PARA EVITAR O IMPULSO DE COMER MAIS DURANTE MOMENTOS DE ANSIEDADE? 
É importante diferenciar a fome da vontade de comer. “A maneira mais fácil de fazer isso é beber um copo d’água e aguardar alguns minutos. Se ainda assim o estômago parecer vazio, busque algo saudável e dedique tempo para as refeições, preparando e mastigando bem os alimentos”, reforça Cintya.

O CHOCOLATE FUNCIONA? 
“Desde que seja o chocolate com teor de cacau acima de 70%”, frisa a nutricionista. Isso porque o cacau possui substâncias muito semelhantes à anandamida, que é um neurotransmissor sintetizado naturalmente pelo organismo e conhecido popularmente como “substância da felicidade”, atuando em áreas que regulam o humor, as sensações de dor e a memória.

Vale lembrar que o alimento sozinho age como parte do tratamento contra a ansiedade, mas traz resultados melhores quando combinado com exercício físico e um estilo de vida equilibrado.