AnaMaria
Busca
Facebook AnaMariaTwitter AnaMariaInstagram AnaMariaYoutube AnaMariaTiktok AnaMariaSpotify AnaMaria

Augusto Cury: "Temos sido carrascos de nós mesmos"

Prestes a ver seu livro de maior sucesso tomar as telonas do Brasil, o renomado escritor ensina como criar uma mente inteligente para controlar a ansiedade

Caroline Cabral Publicado em 20/09/2016, às 14h00 - Atualizado em 07/08/2019, às 17h44

WhatsAppFacebookTwitterFlipboardGmail
Entrevista Augusto Cury - Divulgação
Entrevista Augusto Cury - Divulgação
Com mais de 20 milhões de livros vendidos só no Brasil, o psiquiatra e escritor Augusto Cury está prestes a ver seu maior sucesso tomar as telonas: O Vendedor de Sonhos estreia em dezembro no cinema, protagonizado por Dan Stulbach. Cury conquistou fama internacional com suas publicações e comove milhares de pessoas por onde passa com seu discurso sobre autoconhecimento. E, segundo ele, são as mulheres que encaram a linha de frente nas batalhas emocionais. Concorda?


Seus livros conversam muito com o universo das mulheres. Por quê?
Tenho uma preocupação muito grande com elas. Ao longo da história, as mulheres foram asfixiadas e apedrejadas. Isso dá para comprovar com a estatística de que apenas 3% delas se sentem belas. Se com uma mão lhe deram o direito de estudar, votar e trabalhar, com a outra tiraram sua autoestima e colocaram um corpo magro como o padrão tirânico de beleza. Isso me deixa preocupadíssimo com a saúde mental delas. Acredito que o caminho para a melhora seja ensinar essa mulher a gerir suas emoções, a trabalhar seus medos e suas frustrações. Um bom começo é filtrar estímulos estressantes, afastar cada um dos pensamentos
perturbadores, sentimentos de culpa e autopunição. Isso vai libertar seu imaginário para desenvolver saúde emocional, inteligência
e criatividade.


As novas tecnologias deixam as mulheres naturalmente mais ansiosas. Como elas podem administrar essa ansiedade?
Estamos vivendo um tipo especial de solidão: a solidão do autoabandono. Se a sociedade nos abandona, a solidão é suportável. Mas se nós mesmos nos abandonamos, ela é intolerável. Além disso, o excesso de informação que vem das multimídias, principalmente da internet e da TV, faz com que haja um estímulo dos pensamentos numa velocidade jamais vista na história. Uma criança de 7 anos tem mais informações do que um imperador romano tinha na vida adulta. Tudo isso leva a um grau de agitação mental sem precedentes. Tive o privilégio de descobrir a síndrome gerada por isso, que acomete grande parte da população: a Síndrome do Pensamento Acelerado.


Você se considera ansioso? Como lida com essa sensação?
Já fui muito ansioso. Minha mente sofria por antecipação e ruminava perdas e frustrações. Nesses 30 anos exercendo a psiquiatria, fiz mais de 20 mil atendimentos e me tornei um pesquisador. Desenvolvi uma teoria sobre o autocontrole do pensamento, gerenciamento da ansiedade e do estresse. Assim, fui aos poucos me lapidando. Em algumas situações de estresse ainda sofro por antecipação, mas é muito raro.


Como você bloqueia esse sofrimento  por antecipação?
Eu não compro aquilo que não me pertence. Aprendi a duvidar diariamente do que me controla, a criticar cada ideia perturbadora e a determinar aonde quero chegar. Quando nós, no silêncio da nossa mente, aplicamos essa técnica de duvidar, criticar e determinar,
ganhamos autonomia. Nos tornamos autores de nossa própria história.


Qual a melhor maneira de não ser comandada pela emoção?
Se alguém me critica, ofende, rejeita, calunia e exclui, não posso dar para a emoção um cartão de crédito ilimitado. Caso contrário, ela banca tudo e paga caro por um olhar atravessado ou qualquer rejeição. Isso pode estragar um dia, uma semana e até uma vida. Filtrar estímulos estressantes é vital para uma mente saudável. Uma ferramenta importante de autocontrole é aprender a se perdoar. O ser humano tem sido o carrasco de si mesmo. Quando ele erra, se pune. Quando falha, se cobra intensamente. Temos que aprender a nos abraçar e dar tantas chances para nós quantas necessárias. Automaticamente, uma pessoa que não se cobra tanto acaba não cobrando dos outros. Sem autocontrole não é possível desenvolver as mais importantes habilidades para viver em sociedade.



Sintomas da SPA – Síndrome do Pensamento Acelerado

1 Acordar cansado
2 Dor de cabeça e dores musculares
3 Irritabilidade
4 Sofrimento por antecipação
5 Déficit de concentração
6 Déficit de memória
7 Dificuldade de conviver com pessoas lentas
8 Baixo limiar para frustração, pequenos problemas têm impactos gigantes



Como controlar sua mente, segundo Augusto Cury
1 Critique cada pensamento perturbador no exato momento em que ele aparece, caso contrário ele é registrado e não pode mais ser deletado.

2 Aprenda a doar-se para as pessoas, diminuindo a expectativa do retorno. Não espere nada em troca, porque os íntimos são aqueles que mais podem nos ferir.

3 Filtre estímulos estressantes, não compre aquilo que não lhe pertence: se alguém a ofende, você não é obrigada a pegar a ofensa para si.



Vem novidades por aí
Petrus Logus – o novo livro de Augusto Cury, explicado pelo autor: “Petrus Logus – O Guardião do Tempo é como um Harry
Potter sem magias. Falo do mundo pós-aquecimento global, onde poderá haver escassez de alimentos, insegurança social, conflitos entre nações e até a Terceira Guerra Mundial. Isso se não preservarmos o planeta Terra e, principalmente, o planeta emoção. Ou seja, se nós não desenvolvermos altruísmo, generosidade e solidariedade, nos digladiaremos. Sem a gestão da emoção, ricos se tornam miseráveis, casais começam seus relacionamentos no céu do afeto e terminam no inferno dos atritos, jovens sabotam
sua criatividade e mulheres asfixiam sua autoestima. Por isso, tanto no Petrus Logus quanto no Ansiedade 2 falo sobre uma nova
era, a era do eu como gestor, em que somos autores das nossas próprias histórias.”

Receba o melhor do nosso conteúdo em seu e-mail

Cadastre-se, é grátis!