Cadê a libido que estava aqui? Veja 10 dicas para aumentar o desejo sexual

Apostar nos alimentos certos ajuda a elevar o desejo sexual; saiba quais!

Juliana Ribeiro Publicado quarta 16 junho, 2021

Apostar nos alimentos certos ajuda a elevar o desejo sexual; saiba quais!
Especialista dá dicas para aumentar o desejo sexual - Unsplash

Para a maioria dos casais, o sexo é considerado uma das bases sólidas para construir a relação. Mas e quando isso se torna um problema? Estresse, cansaço e alterações hormonais são alguns dos fatores que costumam 'invadir' a vida a dois, interferindo no desejo sexual, principalmente das mulheres.

Nelas, inclusive, a baixa libido pode ser mais comum do que se imagina: estudos da Mosaico Brasil mostram que 35% das mulheres sofrem de algum tipo de disfunção sexual, sendo que algumas delas nunca atingiram o orgasmo.

Além de acarretar problemas de autoestima, a condição também pode prejudicar o relacionamento, por mais saudável que ele seja, além de atingir a saúde mental e física, principalmente no cenário atual de pandemia. 

Entretanto, isso pode mudar! Para te ajudar nisso, AnaMaria Digital conversou com a ginecologista Camila Ramos, referência em climatério e reprodução humana, e com a nutricionista ortomolecular e funcional Luciana Harfenist, que listaram algumas mudanças de hábitos necessárias para que o apetite sexual volte à tona. Confira!

1. Aposte nas frutas certas!
Acredite: algumas delas podem, sim, aumentar a sua libido. Segundo a nutricionista, frutas como banana, figo, abacate, melancia, romã e morango auxiliam no fornecimento de vitaminas e minerais essenciais que podem aumentar o fluxo sanguíneo para os órgãos genitais e, consequentemente, promover mais libido. Então, dá-lhe frutinhas no cardápio!

2. O estresse é o seu pior inimigo
Sabemos que não é nada fácil se manter plena o tempo todo. O estresse, porém, pode ser um dos principais fatores que geram barreiras em sua vida sexual, sabia? Por isso, tentar manter o equilíbrio pode ser bem positivo.

“Ter uma rotina de exercícios físicos pode auxiliar na excitação sexual ao longo do caminho. É importante ressaltar que, caso a libido não volte, é preciso procurar ajuda de um profissional para saber as reais causas”, explica a ginecologista.

3. Inclua ervas em sua alimentação
Que tal apostar em algumas ervas e alimentos específicos em sua dieta? Segundo Luciana, o manjericão estimula os sentidos, o alho, devido a alicina, estimula o fluxo sanguíneo e a 'cereja do inverno' aumenta o desejo sexual. 

A maca peruana também possui importantes efeitos para o aumento da libido, as quais foram verificadas em estudos que associaram suas propriedades afrodisíacas com os bioativos benzil-isothiocianato e p-methoxybenzyl isotiocianato. Também há efeitos positivos sobre a fertilidade, atribuídos aos glucosinolatos presentes na raiz da planta. 

Por sua vez, o açafrão é visto como um vasodilatador nos países orientais, o que promoveria o aumento da sensibilidade da região genital. 

4. O ciclo menstrual também tem influência nisso!
Durante a ovulação, mesmo que a mulher não esteja tentando engravidar, o organismo faz com que a libido tenha mais força. Isso acontece porque o corpo quer que a mulher permaneça ativa sexualmente durante seu período fértil. 

A médica aponta que uma das causas do baixo apetite sexual pode estar ligada ao ciclo menstrual, tendo em vista que em alguns períodos do mês, como no momento da menstruação, algumas mulheres não sintam à vontade ou confortáveis o suficiente para praticar relações sexuais.  "Por isso, o exercício é manter a autoestima lá em cima e estimular os sentidos nos períodos em que se sentir confortável”, sugere Luciana. 

5. Alimentos poderosos
O manganês é um mineral essencial à saúde sexual, já que influencia os níveis de testosterona. E sabe onde ele está presente? Na canela e no gengibre, que podem facilmente ser encontrados em qualquer supermercado.

Enquanto isso, o cravo-da-índia possui uma atividade afrodisíaca que pode estar relacionada à existência de compostos fenólicos e esteroides, substâncias que foram observadas por meio de estudos fitoquímicos do seu extrato. Já o alecrim é conhecido por sua ação relaxante nos músculos. 

“O alecrim aumenta o fluxo sanguíneo estimulando o cérebro e o corpo, sendo um ótimo estimulante contra a impotência sexual. Além disso, favorece a produção de neurotransmissores responsáveis pela sensação de bem-estar.  Seu aroma também é considerado estimulador do apetite sexual”, garante a nutricionista.

6. Desejo não tem idade!
Se alguém pensa que o desejo sexual diminui com a idade, está bastante enganado, pelo menos é o que afirma Camila. Por mais que os hormônios da mulher começam a sofrer uma queda a partir dos 35 anos, isso não é motivo para a diminuição total da libido.

“O amadurecimento da mulher traz um melhor entendimento do sexo como um todo e isso age diretamente no apetite sexual. O ato traz diversos benefícios para a saúde, como o aumento da imunidade, alívio das dores e rejuvenescimento", diz a médica.

Além disso, o sexo provoca a liberação de endorfina, a famosa sensação de bem-estar, agindo diretamente na qualidade do sono e alívido do estresse.

7. A fitoterapia pode ajudar 
Segundo a nutricionista, fitoterápicos também podem ser utilizados, sendo que sua associação com vitaminas e minerais é de extrema importância para otimizar as respostas. Dentre os que podem ser utilizados para ajudar no desejo sexual, destacam-se:

● Yam mexicano – Precursor do DHEA, tem a ação de sensibilizar os receptores de estrogênio e não promove o crescimento de células tumorais estrógeno dependentes. Estudos apontam que a proteína do Yam tem capacidade positiva na expressão do hormônio folículo estimulante e na aromatase ovariana; 
● Diosgenina – Com estrutura parecida ao DHEA é considerado um coringa, mas ainda muito pouco utilizado. Possui algumas contraindicações como prescrição para pacientes sob terapia de medicações esteroidais; pacientes submetidos a TRH; pacientes em uso de contraceptivos orais, com histórico de doenças trombóticas e derrame; pacientes com histórico de tumor estrógeno dependente ou câncer endometrial. Não é indicado durante a gestação;
● Whitania somnifera (Ashwagandha) – De maneira geral serve para modulação do cortisol, tem potencial de modulação da resposta ao estresse mediado pelo eixo HPA, redução dos níveis de cortisol sanguíneo, eleva os níveis de testosterona, aumenta a produção de LH e reduz os níveis do hormônio FSH e prolactina. A associação de Whitania com Tribulus traz respostas positivas na percepção de prazer da mulher.Suas contraindicações envolvem a não prescrição para grávidas, gestantes lactantes, crianças ou indivíduos com problemas graves nos rins ou fígados;
● Panax ginseng – Aumento da vascularização e aumento da síntese de óxido nítrico. Pode ser um grande aliado no aumento da testosterona;
● Muirapuama – Aumenta a dopamina e a serotonina, melhora a libido;
● Vitex agnus castus – Melhora os sintomas vasomotores e a qualidade do sono. Pode ser prescrita no lugar da melatonina.

A especialista alerta que na prescrição de fitoterápicos é importante se atentar ao eixo do FSH, porque ele é o marcador que aumenta quando a mulher entra na menopausa. "É importante observar a possibilidade do hipotireoidismo nessas mulheres, a resistência insulínica que também começa a acontecer no processo de envelhecimento, além de verificar o intestino e o sistema hepático da paciente", destaca. 

8. Medicamentos
De acordo com a médica, é de suma importância avaliar com seu ginecologista se os remédios que está usando impactam na libido. Os anticoncepcionais, por bloquearem o ciclo menstrual e afetarem os níveis hormonais, são os principais remédios que dão essa alteração. Além deles, anti-hipertensivos, antidepressivos e remédios para refluxo gástrico também podem afetar. 

“Se as medicações estão por trás da falta de libido, converse com o médico se existe outra opção que não afete. Em relação aos anticoncepcionais, DIUs ( dispositivo intra-uterino) de cobre e prata e anticoncepcionais sem hormônio devem ser avaliados!” explica Camila.

9. De olho na saúde
Doenças como diabetes mellitus, hipotireoidismo, dor pélvica crônica e colesterol alto costumam afetar a libido, uma vez que alteram os níveis hormonais. Neste caso, vale uma avaliação com o médico para investigar se estes problemas estão, de fato, interferindo no desejo sexual. Além disso, a obesidade está ligada a níveis mais baixos de testosterona. Fique ligada!

10. Diminua o álcool
Apesar de muitos acreditarem que o álcool aumenta a libido, na verdade, acontece bem o contrário já que, quando consumido em excesso, a bebida tende a diminuir o desejo sexual. Isso acontece porque o álcool é um depressor do sistema nervoso central e, nos casos de consumo regular, acontece a diminuição da lubrificação vaginal e dificuldade a alcançar o orgasmo.

Segundo estudo feito pela Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), 47% dos dependentes de álcool e outras drogas apresentam alguma disfunção sexual. Então é melhor diminuir os drinks, hein!

RECEITAS PARA AUXILIAR NA MELHORA DA LIBIDO
Algumas frutas, ervas e temperos possuem propriedades que auxiliam na melhora da libido. Por isso, se você está sofrendo com a diminuição do desejo sexual, a nutricionista Luciana Harfenist listou três receitas que podem te ajudar nisso. Confira!

CHAI LATTE

Ingredientes:
✔    1 pedaço de canela em pau
✔    5 cravos da índia
✔    1 anis estrelado
✔    3 bagas de cardamomo cortadas ao meio
✔    1 colher de chá de pimenta do reino em grãos
✔    1 colher de chá de gengibre ralado
✔    1/2 xícara de água
✔    1 xícara de leite vegetal (coco)
✔    2 saquinhos de chá preto 
✔    2 colheres de sopa de açúcar mascavo ou melado

Modo de preparo:
Em uma frigideira, toste as especiarias (canela, pimenta, cravos, cardamomo e anis estrelado) por cerca de 3-4 minutos no fogo baixo, mexendo de vez em quando. Reserve. Coloque o gengibre na água, misture com o leite e aqueça em fogo alto até subir as primeiras bolhas. Desligue o fogo, mergulhe as especiarias tostadas e o chá, cubra com um prato e deixe em infusão por 10 minutos. Coe a infusão e misture o açúcar mascavo ou melado, até dissolver bem. Sirva em seguida — Polvilhe canela em pó e noz moscada ralada na hora por cima.

SUCO DE ROMÃ, MELANCIA E MACA PERUANA

Ingredientes:
✔    2 romãs
✔    500ml de água
✔    500g de melancia sem casca e sem caroço
✔    1 colher de sobremesa de maca peruana
✔    1 colher de gengibre ralado.
✔    Adoçante a gosto
✔    Gelo a gosto

Modo de preparo:
Corte as romãs ao meio. Descarte a fibra e a casca e use somente as sementes. Coloque as sementes de romã no liquidificador com a água e o adoçante. Bata bem a fim de triturar as sementes. Passe o suco pela peneira. Volte o suco coado para o liquidificador e junte a melancia, a maca peruana e o gengibre ralado. Bata bem. Sirva gelado.

REFOGADO DE CASCA DE MELANCIA

Ingredientes:
✔    Casca de ¼ de melancia 
✔    Azeite (1 colher)
✔    1 cebola
✔    2 dentes de alho
✔    Açafrão a gosto
✔    Água quente 
✔    Cheiro verde
✔    Sal

Modo de preparo:
Lave bem a casca, retire o excesso da parte vermelha da fruta que ainda restar, pique em cubinhos e reserve. Em uma panela, refogue a cebola e o alho no azeite. Misture as cascas e refogue um pouco. Cubra com a água quente e deixe cozinhar por alguns minutos. Quando estiver em uma consistência al dente, tempere com sal, pimenta do reino e açafrão. Sirva em seguida.
 

Último acesso: 24 Jul 2021 - 22:12:15 (1146339).