Candidíase: desvende os principais mitos sobre a condição e quais suas causas

Especialista lista fatores que desencadeiam crises de candidíase

Da Redação Publicado quarta 5 agosto, 2020

Especialista lista fatores que desencadeiam crises de candidíase
Os fungos habitam normalmente o nosso intestino, pele e região vaginal - Anastasia Gepp/Pixabay

A candidíase é um problema médico relativamente comum na vida das mulheres. Por ter sido tratada durante muito tempo como uma DST (Doença Sexualmente Transmissível), ela ainda carrega o estigma de ser um assunto constrangedor, fazendo com que a paciente mantenha em segredo reações físicas como coceira, prurido, corrimentos, odor, entre outros sintomas, e evite procurar ajuda médica.

Paulo Amazonas, idealizador da 'Campanha Nacional de Conscientização sobre a Síndrome Fúngica', explica que, diferentemente de outros microrganismos causadores de doenças e infecções, os fungos habitam normalmente o nosso intestino, pele e região vaginal, tendo o seu crescimento populacional controlado pelo equilíbrio da flora intestinal. 

"O problema acontece quando se perde este equilíbrio, o que reduz as bactérias intestinais 'amigas' e causa crescimento fúngico. Quando isso sai do controle, aumenta a incidência de fungos como a Cândida Albicans, responsável pela condição, gerando inúmeros sintomas locais e em diversas outras partes do corpo", explica.
 
Ao apresentar um quadro de candidíase vaginal é importante, especialmente se for rotineiro, olhar para todo o corpo e não somente para os sintomas apresentados na vulva e vagina. “A mulher acometida pela infecção fúngica pode ter sua vida sexual, afetiva e mental diretamente afetada, devido a quadros de corrimento e coceira intensa. Os sintomas apresentados na mucosa vaginal são um reflexo da falta de equilíbrio da mucosa intestinal”, explica.

AnaMariaDigital lista os principais gatilhos que podem desencadear crises de candidíase. Confira!

ANTIBIÓTICOS E CORTICOIDES
Apesar de necessários em alguns momentos, é importante ter atenção quanto ao uso frequente desses medicamentos, especialmente dos corticoides, que são vendidos em farmácia sem a obrigatoriedade de receita médica. Essa classe de medicamentos elimina do corpo as bactérias boas, que são responsáveis por regular o crescimento populacional dos fungos no intestino.
 
ANTICONCEPCIONAL HORMONAL
O estímulo e uso contínuo dos hormônios presentes em anticoncepcionais favorecem o desequilíbrio da flora intestinal e o crescimento da população fúngica. Assim, pode ser importante pesquisar e discutir com o ginecologista a possibilidade de outros métodos contraceptivos.  
 
CONSUMO DE ULTRAPROCESSADOS
Sabe aqueles alimentos que vêm na embalagens e com uma lista de ingredientes que a gente mal sabe dizer o nome? Os alimentos ultraprocessados tem pouco ou nenhum valor nutricional, muitas calorias e substâncias que, durante o processo digestivo, favorecem o crescimento fúngico.

GLÚTEN, LEITE DE VACA, AMENDOIM, SOJA E OVO 
Como são proteínas difíceis de serem digeridas pelo corpo humano, podem desencadear no corpo um processo inflamatório, que vai dificultar a manutenção e resposta das bactérias boas. Se for o seu caso, reduzir o consumo deles pode ser benéfico para diversos aspectos do corpo, da saúde física e até mental.

ALIMENTAÇÃO POBRE EM FIBRAS
As fibras alimentares favorecem uma nutrição eficiente para o corpo, além da consequente melhora do funcionamento do intestino. Tudo isso ajuda a manter o equilíbrio da flora intestinal.

ALTO CONSUMO DE AÇÚCAR
Este é o principal alimento dos fungos. Pacientes com candidíase chegam a ter vontade de consumir mais alimentos doces e com baixo valor nutricional. Exatamente por isso, é importante reduzir e evitá-los, justamente para eliminar a candidíase e manter uma flora intestinal saudável.

ESTRESSE FÍSICO E MENTAL
Em uma vida agitada e com poucas horas dormidas por noite, a sobrecarga física e mental é uma situação vivida por muitas mulheres. Isso contribui para manter os altos níveis de estresse de forma frequente, o que gera no corpo uma resposta química. Seu excesso prejudica todo o equilíbrio corporal, bem como de uma flora intestinal saudável. Tente relaxar mais! 

CALÇAS, TECIDOS SINTÉTICOS E MUITAS HORAS SENTADAS
A região intima é naturalmente úmida e o calor gerado pelo abafamento de tecidos sintéticos, comum ao passar muitas horas sentada, não permite a ventilação e respiração da área da vagina. Isso favorece o crescimento fúngico em demasia. Para sair disso, é importante usar calcinhas de algodão, evitar meia calça e alternar sempre que possível o uso de calças com saias e/ou vestidos, além de não passar tanto tempo na mesma posição.

Último acesso: 17 Jan 2021 - 01:38:43 (1116727).