AnaMaria

Colchão desgastado? Veja 5 sinais de que seu sono não é mais o mesmo

Crises alérgicas, dores lombares e sonolência diurna podem ser sinais de um colchão desgastado

Da Redação Publicado em 07/04/2019, às 14h00 - Atualizado em 07/08/2019, às 17h46

É preciso saber quando é hora de providenciar a troca - Shutterstock
É preciso saber quando é hora de providenciar a troca - Shutterstock

Sempre que falamos de colchão, ouvimos o clichê "passamos 1/3 de nossa vida em cima de um colchão". No entanto, além de ser verdade, saiba que dormir sob um colchão errado pode prejudicar diretamente a sua saúde e sua produtividade. 

Vemos uma geração muito preocupada com a alimentação, e esta mesma deveria se preocupar também com um grande aliado para uma vida mais saudável: o sono!

Além de todas as orientações que seguimos na hora de comprar um modelo novo, é preciso saber quando é hora de providenciar a troca. 

AnaMaria conversou com André Fernando da Rocha, fisioterapeuta e membro da Associação Brasileira do Sono, e selecionamos sinais de que esse momento chegou.

1. Ele fica com a "marca" do seu corpo muito tempo 
Essa dica é especialmente importante para os colchões viscoelásticos ou com “memory foam”. Apesar de eles serem projetados para “se lembrar” do seu corpo e da posição em que você dorme, a espuma deve voltar ao normal depois que você se levanta. 

Conforme o tempo de uso, a estrutura da espuma começa a quebrar, de forma que ela fica mais mole e com uma capacidade menor de se recuperar, dando menos apoio ao seu corpo.

Assim, se você notar que a espuma demora muito para voltar ao normal ou se ela fica com uma impressão do seu corpo mais profunda do que 5 cm, está na hora de trocar o colchão. 

2. Você está acordando com dores
Se você está acordando com mais dores do que você tinha quando foi dormir, algo está errado com o seu colchão. Este é o momento em que nosso corpo se recupera do estresse e do cansaço do dia a dia.

Segundo André, para termos um sono reparador, é necessário atingirmos as 4 fases do sono, sem interrompê-las, de forma que cada vez que nos movimentamos ou viramos, voltamos ao primeiro estágio. 

Com o desgaste da espuma, o colchão deixa de oferecer o suporte adequado para áreas como pescoço, lombar e quadris, além de criar pontos de pressão. Se você já acorda dolorido, pode estar na hora de trocá-lo. 

4. Cuidados durante a gravidez
Estar grávida é um bom motivo para trocar o seu colchão se ele já não estiver mais 100% e providenciar um modelo novo que ofereça o suporte que você vai precisar nesse período. 

Seu corpo estará mais suscetível a dores e tensões causadas pelo aumento do volume abdominal, principalmente na região lombar. Dormir em um colchão que proporciona o apoio necessário é essencial para reduzir esse desconforto. 

5. Crises alérgicas ao dormir 
É só você se deitar que a crise começa: o nariz escorre, os olhos coçam e você espirra sem parar. Se você já descartou que o problema esteja na roupa de cama, no travesseiro ou nos cobertores, ele pode estar no seu colchão. 

Com o tempo, a maior parte dos colchões acumula alérgenos como mofo, ácaros e poeira. Assim, se você tem crises alérgicas ao se deitar ou se acorda sempre com o nariz entupido, vale a pena fazer uma inspeção no seu colchão e providenciar a troca se necessário.