AnaMaria

Coma bem... gastando menos!

Goji berry, hibisco, sorgo... Nem sempre as opções mais caras têm maior valor nutricional. Saiba como poupar dinheiro e ganhar mais saúde!

Karla Precioso Publicado em 19/12/2017, às 16h00 - Atualizado em 07/08/2019, às 17h45

Coma bem... gastando menos! - Shutterstock
Coma bem... gastando menos! - Shutterstock

Alguns alimentos, de um momento para o outro, se tornam os heróis do cardápio, prometendo turbinar a dieta e a saúde. Entre eles estão goji berry, hibisco, sorgo, chia, quinoa, amaranto... Mas, afinal, será que eles são mesmo tudo aquilo que andam dizendo por aí? O fato é: além de ter o preço mais salgado, muita gente não sabe que a maioria deles oferece exatamente os mesmos benefícios de itens que costumam estar
na nossa despensa e custam bem menos: “São tantas promessas milagrosas, que as pessoas chegam a ficar confusas e, às vezes, até consomem de forma equivocada esses alimentos da moda. O problema maior é que ainda há poucos estudos e embasamento científico para certificar a verdadeira eficácia de todos eles”, explica Ticiane Moura Gonçalves, nutricionista na área de Medicina Preventiva da Unimed. Conclusão: não é preciso correr atrás dos itens mais caros para garantir uma dieta equilibrada. É possível fazer trocas nutritivas e que não pesam no bolso!

SUBSTITUIÇÕES INTELIGENTES

Chia por alface
A chia possui grande quantidade de ômega-3, antioxidante e fibra – essa última aumenta a sensação de saciedade, tornando a digestão mais lenta. Mas tem bastante caloria, diferentemente da alface, que pode ser uma boa substituta se a ideia é diminuir o apetite e regular o intestino. Isso porque, assim como a maior parte dos vegetais folhosos, ela também é rica em fibras, que saciam a fome, controlam a taxa de açúcar no sangue e ainda regulam o intestino. Pode comer à vontade.

Goji berry por laranja e morango
Goji é composta por vitaminas, minerais, aminoácidos e antioxidantes. Ainda existem poucos estudos que explicam os benefícios desta fruta. No entanto, algumas pesquisas recentes demonstraram que o consumo diário do suco de goji berry aumenta significativamente a sensação de
bem-estar, melhora a função gastrointestinal e neurológica. Exatamente os mesmos efeitos de uma fruta deliciosa, com ação anti-inflamatória e riquíssima em antioxidantes e vitamina C: o morango. Já se a intenção é tirar proveito de sua alta taxa de vitamina C, a laranja faz a vez com
louvor. Consuma in natura ou prepare um suco.

Sorgo por uva, ameixa, berinjela e repolho roxo
Sorgo contém grande concentração de antocianina, que combate a ação de radicais livres no organismo. Ela reduz os riscos de diabetes, hipertensão e até câncer. Podemos encontrá-la também, e em abundância, em alimentos como uva, ameixa, berinjela e repolho roxo. O consumo regular desses alimentos garante seus benefícios.

Hibisco por chá-verde
Hibisco tem ação diurética, porém, além de mais barato, o chá-verde também possui comprovadamente efeito termogênico, que potencializa a queima de gordura e acelera o metabolismo. Consuma até três xícaras (chá) por dia.

Quinoa por banana
Dois dos aminoácidos da quinoa, a metionina e a lisina, estão ligados ao desenvolvimento da memória e dos reflexos, e um deles, o triptofano, é capaz de liberar no cérebro a serotonina, que dá sensação de bem-estar e alegria. Para garantir a felicidade, substitua por uma das frutas mais populares: a banana. Nutritiva, contém fibras e antioxidantes, e age na liberação de serotonina. Coma uma por dia!

Amaranto por arroz e feijão
Estudos preliminares com o amaranto mostraram que a composição nutricional dele é bem semelhante à desta dupla indispensável na mesa do brasileiro: arroz com feijão. Essa comparação acontece porque ele possui as proteínas presentes no feijão e os mesmos aminoácidos encontrados no arroz. Mas fica ligada: por ser fonte de carboidratos, o consumo excessivo de amaranto pode colaborar para o ganho de peso. Já a combinação acima ajuda a emagrecer, já que é pobre em gordura. O ideal é comer três colheres (sopa) de arroz e uma concha rasa de feijão.