Confira quais são os alimentos que ajudam a reduzir a ansiedade

Alimentação é uma grande aliada na hora de melhorar os sintomas

Raquel Borges Publicado sábado 3 abril, 2021

Alimentação é uma grande aliada na hora de melhorar os sintomas
Confira quais são os alimentos que ajudam a reduzir a ansiedade - Pixabay

A ansiedade provoca uma bagunça nas emoções e, de quebra, isso reflete em nossa saúde. Quando se manifesta intensamente, ela desencadeia a sensação de mal-estar, impedindo de se viver de forma mais leve, sem tanta angústia. Para piorar, muita gente vê os alimentos mais gordurosos e ricos em açúcar como uma alternativa para promover momentos de prazer imediato.

O problema é que isso pode criar um círculo vicioso: “A escolha colabora para acentuar ainda mais o quadro ansioso”, afirma a nutricionista do Hospital Edmundo Vasconcelos, de São Paulo, Isadora Kaba. Ela completa: “O excesso de açúcar pode gerar alteração do humor e piorar a ansiedade. Além de predispor ao aumento de peso, os doces promovem a desregulação do controle glicêmico e, consequentemente, o aumento da produção de cortisol, o hormônio do estresse”.

De acordo com estudo publicado no European Journal of Clinical Nutrition, a adesão a uma dieta saudável, rica em grãos integrais, produtos lácteos com baixo teor de gordura, vegetais e oleaginosas, implica menor chance de distúrbios emocionais e psicológicos. Por isso, a recomendação é desembalar menos e descascar mais. A deficiência de triptofano e, consequentemente, de serotonina (hormônio do bem-estar) está ligada ao desenvolvimento de doenças como depressão, ansiedade e obesidade.

“Portanto, quanto mais a alimentação for caseira, com menos produtos industrializados e mais tempe- ros naturais, melhor”, aconselha a especialista. Vem saber mais a respeito.

LISTA NEGRA

Os alimentos que pioram a ansiedade são os ricos em farinhas brancas (pães, torradas, bolos e bolachas feitos com farinhas refinadas), doces, açúcares, xaropes (isso inclui também as famosas barras de cereais) e os que têrm cafeína (refrigerantes, energéticos, café, chá mate e preto). Quando incluídos de forma rotineira na alimentação, predispõem ao aumento de peso e à desregulação no controle glicêmico. Consequentemente, há um aumento da produção de cortisol, o hormônio do estresse.

Além disso, o estilo de vida moderno nos expõe a um estado de estresse crônico, pois temos de dar conta de múltiplas tarefas: “O que pode, sim, ser potencializado por uma alimentação não saudável, rica em açúcares e gorduras, além da ingestão habitual de álcool e um cotidiano com privação de sono e atividades físicas. Esse estado de ansiedade também gera episódios de compulsão alimentar”, alerta Isadora. De acordo com a nutricionista, os alimentos fontes de cafeína são estimulantes do sistema nervoso central e geram dependência, podendo piorar o quadro de ansiedade e irritação.

Suas substituições: os alimentos citados anteriormente podem ser substituídos por pães, bolachas, torradas e bolos, desde que em sua versão 100% integral. Os doces, em especial, devem dar lugar a porções de frutas mais adocicadas, podendo até ser incrementadas com um pouco de canela ou cacau em pó.

BARRADOS NO BAILE

As barras de cereais não são muito aconselhadas, especialmente por se tratar de alimento ultraprocessado: “É bom saber que todos os alimentos fontes de carboidratos, gorduras e proteínas fornecem energia. Portanto, não é preciso recorrer às barrinhas para isso”, enfatiza a especialista. Já a cafeína pode ser consumida por indivíduos saudáveis, em pouca quantidade, durante o dia. O excesso pode piorar a ansiedade e até causar tremores e palpitações. A recomendação para quem consome em alta quantidade café ou bebidas com cafeína é reduzir o consumo de forma gradual, até atingir o máximo recomendado, que é de 3 a 4 xícaras pequenas (50 ml) por dia.

ALIMENTE-SE COM CARINHO

Ter horário e rotina é muito importante para uma alimentação saudável. Sentar-se à mesa e concentrar-se no que está ingerindo faz bem ao corpo e relaxa a mente. Nada de comer rapidamente e na frente do computador. Isso
dificulta a percepção dos sinais de saciedade.

INCLUA NO CARDÁPIO DO DIA A DIA

Alimentos fonte de triptofano: feijões, soja, lentilha e grão-de-bico, leite e derivados, chocolate amargo, frutas como abacaxi, banana e kiwi, cereais integrais, chia, linhaça e oleaginosas.

Alimentos ricos em fibras: frutas, farelos, sementes e grãos integrais, laticínios magros, carne bovina magra, peixes, aves sem pele e ovos, além de fontes de gorduras boas em quantidade moderada, como abacate e azeite extravirgem.

Último acesso: 18 Oct 2021 - 12:11:35 (1142971).