AnaMaria

Corte o sódio e não prazer de comer!

O sal é sinônimo de sabor e prazer à mesa, mas para muitas pessoas também é um grande risco à saúde. Veja como reduzir o consumo do ingrediente para ganhar qualidade de vida

Júlia Arbex Publicado em 30/05/2018, às 18h02 - Atualizado em 07/08/2019, às 17h46

Se você ingere muito sódio, acaba criando um desequilíbrio de eletrolíticos em seu corpo. Ou seja, seu metabolismo passa a não funcionar do jeito certo e você acaba não queimando tanta gordura quanto deveria - Shutterstock
Se você ingere muito sódio, acaba criando um desequilíbrio de eletrolíticos em seu corpo. Ou seja, seu metabolismo passa a não funcionar do jeito certo e você acaba não queimando tanta gordura quanto deveria - Shutterstock

Apesar de ser importante para o bom funcionamento do nosso organismo, a ingestão excessiva de alimentos ricos em sódio, principal componente do sal de cozinha, pode desencadear sérios danos à saúde. Pensando nisso, no livro Dieta Antissal (Editora BestSeller, R$ 44,90), as nutricionistas americanas Tammy Lakatos Shames e Lyssie Lakatos ensinam como incorporar à dieta alimentos-chave, que são capazes de melhorar a pressão arterial, reduzir o risco de doenças cardíacas e vencer a luta contra a balança e o inchaço para sempre.

O que o sal tem a ver com o peso e a saúde?

Assim como outros minerais, como cálcio, magnésio, cloreto e potássio, o sódio é um eletrólito que ajuda o metabolismo funcionar e garante o fluxo correto denutrientes para dentro e para fora do corpo. Mas se você ingere muito sódio, acaba criando um desequilíbrio de eletrolíticos em seu corpo. Ou seja, seu metabolismo passa a não funcionar do jeito certo e você acaba queimando menos gordura do que deveria. O sal em excesso também afeta a insulina, hormônio responsável por fornecer energia, danificando os vasos sanguíneos e dificultando o fluxo de oxigênio para as células e a queima de gordura. Está bom para você?

Perda de cálcio

Estudos mostram que as mulheres na pós-menopausa que têm uma dieta rica em sal perdem mais minerais ósseos, aumentando seu risco de osteoporose, do que outras da mesma idade. Mas não pense que só porque você ainda não entrou na menopausa que pode ingerir todo o sal que quiser. O excesso de sódio dificulta a absorção de cálcio dos alimentos ingeridos em qualquer faixa etária! 

Como fica nossa aparência?

Já notou que após uma refeição cheia de alimentos salgados, como molhos, carne defumada de peixe ou bovina, batata frita e salgadinhos, seu estômago se dilata, você fica mais pesada e seu rosto mais inchado? Essa é a reação do corpo à ingestão excessiva de sal.

Controlando seus desejos

A primeira coisa que você pode fazer para evitar o consumo excessivo de sódio é ler rótulos. O rótulo de informações nutricionais nas embalagens dos alimentos lhe diz a quantidade de sódio existente em uma porção. Você deve ter algumas coisas em mente ao olhar para esse número de sódio. Se o tamanho da porção não for o que normalmente comeria, aumente (ou diminua) a quantidade de sódio de acordo com o número de porções que pretende comer. Por exemplo, se o tamanho da porção relacionado em um pacote de pão for “uma fatia” e o rótulo mostrar 240 mg de sódio, o teor de sódio de duas fatias é 480 mg (240 mg por fatia x 2 fatias). Depois de verificar o tamanho da porção no rótulo, veja se há na embalagem uma afirmação positiva sobre a saúde. Hoje, há alimentos dos quais se afirma serem “livres de gorduras trans” ou “ricos em fibras”. Mas veja se as afirmações são regulamentadas pelos órgãos competentes.