AnaMaria

De onde vem sua principal motivação?

Sinto muito em dizer, mas não podemos depositar a nossa desmotivação nos acontecimentos externos. É isso mesmo! Ela é inerente a cada pessoa e deve vir de dentro de nós mesmos!

Heloísa Capelas Publicado em 25/12/2017, às 10h00 - Atualizado em 07/08/2019, às 17h45

De onde vem sua principal motivação? - Shutterstock
De onde vem sua principal motivação? - Shutterstock

"Como estou desmotivado! Por que não encontro motivação para realizar os meus sonhos?” Por todos os lugares, encontro pessoas me pedindo ajuda desse tipo, seja nos atendimentos do Centro Hoffman, nas empresas onde ministro palestras, nas ruas... Eu até compreendo a angústia das pessoas diante do cenário hostil que estamos vivendo no país. Mas será que podemos culpar os fatores externos? Até que ponto os problemas do Brasil podem tirar o nosso ânimo? Sinto muito em dizer, mas não podemos depositar o nosso desânimo nos acontecimentos externos. É isso mesmo! A motivação é inerente a cada pessoa e deve vir de dentro de cada um. Não podemos confundir
com aquela satisfação momentânea, normalmente conquistada depois de uma atividade física, da leitura de um poema, do prazer gerado por meio de uma música etc. São situações que podem até melhorar a nossa energia, porém são passageiras. E como melhorar esse ânimo de forma definitiva? Uma coisa é certa: não espere que isso venha do governo, da economia ou da sociedade. Os fatores externos também são circunstanciais, até mesmo as fases difíceis. Como diz o ditado popular: não há mal que dure sempre, nem bem que nunca acabe! Como os fatores externos não interferem na minha motivação se a minha empresa faliu por consequência da crise econômica? Claro que esses problemas atrapalham projetos de vida, mas não podem ter poder para nos desanimar. Olhe para as dificuldades como molas impulsionadoras, o que você pode fazer de diferente a partir delas? A equação é simples: a automotivação vem do autoconhecimento, da ética, do perdão, da gratidão... O que eu aprendi durante os momentos ruins? O que eu posso fazer de diferente? Aproveite os momentos de desmotivação para se conhecer, aperfeiçoar aquilo que precisa ser aprimorado, busque em você quais aspectos precisam ser desenvolvidos. Por isso, agradeça os momentos de dificuldade, pois são eles que nos vão dar maturidade para fazermos coisas diferentes e sermos criativos. Comece agora a lutar por esse ânimo e honre a sua vida com trabalho e dignidade!

HELOÍSA CAPELAS é especialista em desenvolvimento humano. Autora de O Mapa da Felicidade e Perdão – A Revolução Que Falta, é
diretora do Centro Hoffman de Autoconhecimento, em São Paulo. Sites: heloisacapelas.com.br e centrohoffman.com.br. Facebook: /CapelasHeloisa

Envie suas perguntas para Heloísa Capelas pelo e-mail anamaria@maisleitor.com.br