AnaMaria

Em vez de reclamar, que tal respirar?

Será uma oportunidade incrível para praticarmos o autoconhecimento e refletirmos acerca de tudo que reclamamos de maneira desnecessária

Heloísa Capelas Publicado em 25/01/2018, às 14h00 - Atualizado em 07/08/2019, às 17h45

Em vez de reclamar, que tal respirar? - iStock
Em vez de reclamar, que tal respirar? - iStock

Não reclame, respire! Essa é a melhor forma de amenizar os problemas. Você já parou para pensar que reclamar só faz a gente perder o nosso tempo? É verdade: frequentemente desperdiçamos os nossos dias reclamando daquilo que não concordamos ou não aceitamos. É impressionante como temos a capacidade de reclamar! 

Você sabia que, de acordo com vários estudos, líderes de sucesso não reclamam? Pessoas bemsucedidas usam melhor o tempo; elas buscam formas e caminhos para solucionar os seus problemas. Na outra ponta, estão as pessoas que dramatizam as dificuldades a ponto de se sentirem vítimas e injustiçadas, que perdem tempo remoendo a história toda, como se quisessem provar ao mundo a sua isenção diante do problema. 

Perder tempo, infelizmente, não é o único percalço. Quando insistimos em reclamar das dificuldades da vida, deixamos de utilizar áreas neurais importantes do cérebro para pensar nas soluções. Nós funcionamos conforme o nosso relato: na medida que contamos uma história, passamos a acreditar nela, colocando-nos na posição de vítimas, injustiçados, fracassados... E o que nos resta? Reclamar! 

É claro que problemas existem. Até brinco que acontecimentos “acontecem”. Então, o que você vai fazer com eles? A casa caiu! E agora? Quanto tempo vai ficar reclamando e olhando para os  escombros? Existem situações que fogem ao nosso controle e não adianta ficar se lamentando. Pare de reclamar, respire fundo e ofereça a oportunidade para o seu cérebro pensar nas soluções. Pare também de replicar notícias ruins, aquelas consumidas por meio da mídia. Lembre-se: a gente é aquilo que a gente absorve e passa para frente. 

Não existem soluções milagrosas para deixar de reclamar, mas indico um exercício simples e eficaz para os meus alunos: que tal ficarmos 21 dias sem murmurar, e só respirando fundo diante dos problemas? Acredito que será uma oportunidade incrível para praticarmos o autoconhecimento e refletirmos acerca de tudo que reclamamos e de maneira desnecessária. Respire fundo, pense positivamente. Ocupe o seu cérebro com as soluções, e não valorize demais os problemas!