AnaMaria

Excesso de ar-condicionado ou aquecedor podem ser vilões para a saúde

Mudança de temperaturas causam tosse, pontapé inicial para vários problemas de saúde no organismo

Da Redação Publicado em 31/03/2019, às 17h00 - Atualizado em 07/08/2019, às 17h46

Todas as doenças precisam de um acompanhamento. - iStock
Todas as doenças precisam de um acompanhamento. - iStock

A tosse é o principal mecanismo do corpo responsável pela limpeza adequada de secreções das vias respiratórias. Com trocas de estação – como da Primavera para o Verão – muitas pessoas tendem a sofrer com os impactos, principalmente quem é alérgico a pó, pólen e outros elementos transportados pelo ar. As vias respiratórias são as mais atingidas nessa época de virada e, se não bem tratadas, podem desenvolver problemas maiores para a saúde.

“O ressecamento das nossas mucosas pode ser um importante estímulo para doenças ou alterações respiratórias. Logo, percebemos isso pela tosse, que geralmente aparece primeiro”, explica Rodrigo Silveira de Miranda, otorrinolaringologista do Hospital IPO, em Curitiba (PR).

 “Este problema se acentua não só nas regiões mais frias mas também nas que apresentam grande variação de temperatura durante um mesmo dia, caso de Curitiba e grande parte do Sul e Sudeste do país”.

Os mais comuns problemas que geram o incômodo na garganta são as mudanças de temperatura – seja ela climática ou mecânica – com o uso excessivo de aquecedores ou do ar-condicionado, prática muito comum em temporadas extremas de frio e calor. 

E as doenças mais relacionadas à tosse são sinusites bacterianas, rinorreia posterior (sensação de gotejamento pós-nasal, no fundo da garganta), exacerbação de quadro alérgico, pneumonia, refluxo gastresofágico e asma.

“Todas essas enfermidades precisam de um acompanhamento e também um tratamento específico, e se mesmo assim, a tosse persistir, deve-se procurar um médico”, conta Miranda, que esclarece na sequência algumas dúvidas sobre o assunto, dando dicas de tratamento e prevenção:

Quando precisamos nos preocupar com a tosse?
“A princípio, temos que nos preocupar com a tosse crônica, com mais de 3 semanas. Porém, um médico deve ser procurado sempre que a tosse, mesmo que recente, fuja de um padrão esperado. Ou seja, se for atípica ou acompanhada de outros sintomas, deve ser avaliada por um médico, mesmo que não tenha completado três semanas”.

O que o paciente deve fazer quando o problema persistir?
“A tosse crônica (com mais de três semanas) é a 5ª causa mais comum de procura de assistência médica no mundo e deve ser investigada sempre que for persistente. Portanto, o médico deverá ser procurado para uma abordagem investigativa e sistemática para determinar o diagnóstico e buscar a terapia adequada”.

Como prevenir as irritações na garganta e outros problemas que causam a tosse?
“Evitar longos períodos de exposição ao frio, assim como grandes variações de temperatura, sejam pelo ambiente, ventiladores ou ares-condicionados. Manter as vias aéreas sempre hidratadas, com ingestão abundante de líquidos e uso de soro fisiológico nasal contínuo, principalmente pelos mais suscetíveis ao clima, doenças e fatores de risco relacionados à tosse”.

Qual o melhor tratamento para esse incômodo?
“Geralmente, pastilhas expectorantes são suficientes para o pigarro que fica na garganta. Mas, novamente, se o sintoma persistir, é necessário procurar a ajuda de um médico para compreender qual o melhor procedimento para seguir”.