"Gorda, eu? Imagina!"

Olhar no espelho e se ver magra mesmo quando os ponteiros da balança apontam o contrário pode ser uma doença. Entenda a gordorexia

Silvia Regina Publicado sábado 8 agosto, 2015

Olhar no espelho e se ver magra mesmo quando os ponteiros da balança apontam o contrário pode ser uma doença. Entenda a gordorexia
Mulher gordinha se olha no espelho e se vê magra - Dreamstime
Você já ouviu falar muitas vezes de anorexia. O distúrbio que faz a pessoa se enxergar gorda mesmo estando muito magra é bastante conhecido. Mas sabia que o oposto desse quadro também existe? “É a gordorexia, disfunção em que o obeso não tem consciência do excesso de peso e se vê magro no espelho”, explica o endocrinologista Joffre Nogueira Filho, de São Paulo. O problema ainda não é reconhecido como doença pela Organização Mundial da Saúde, mas sabe-se que as mulheres são mais vulneráveis a desenvolvê-lo. Veja mais a seguir.

Imagem distorcida

A gordoréxica se sente bem e bonita, mas isso nem sempre significa autoestima elevada. Não há problema em ser gorda e se gostar assim, claro. A questão é não enxergar uma realidade que pode trazer problemas de saúde. “Uma pessoa feliz com sua aparência se percebe gorda, mas não se incomoda. Já a gordoréxica apresenta uma falha na autopercepção, se olha no espelho e se enxerga magra”, explica o médico. E seu comportamento é contraditório: ela procura não se ver de corpo inteiro, evitando encarar a realidade.


Compulsão à mesa

Como não se vê gorda, quem sofre com o distúrbio come tudo o que quer e em grandes quantidades. E se comporta à mesa de maneira compulsiva, ou seja, come demais, mesmo sem ter fome.


Males associados

O maior perigo da gordorexia é a obesidade e as doenças relacionadas a ela, como diabetes e hipertensão. Aliás, são esses problemas que levam o doente a procurar ajuda. A partir daí, o distúrbio é diagnosticado. Dificilmente o médico é procurado por causa da gordorexia. Isso porque a pessoa não tem consciência do seu peso e da imagem real do próprio corpo. Além disso, o fato de a doença ainda não ser conhecida prejudica o diagnóstico.


Terapia e medicamento

Tratar a gordorexia envolve o acompanhamento de vários profissionais. “O tratamento deve compreender os aspectos psíquicos e os relacionados às doenças que acompanham a obesidade”, diz Nogueira Filho. Geralmente, o paciente é acompanhado por uma equipe multidisciplinar, com nutricionista, endocrinologista e até profissionais da área de estética. A presença de um psicólogo também é fundamental. “O tratamento psicológico deve fazer o indivíduo perceber o processo que está vivendo e se voltar para si mesmo. Com isso, conseguirá alterar aquilo que pode lhe causar sofrimento”, conta o médico. 

Último acesso: 24 Sep 2020 - 16:35:59 (1005717).