AnaMaria

Gota nas mulheres: Conheça maneiras de manter a dor sob controle

Antes uma doença quase que exclusiva do sexo masculino, agora incomoda também as mulheres

Karla Precioso Publicado em 01/03/2022, às 10h00

Gota nas mulheres: Saiba como controlar dores provocadas pela doença - Pixabay
Gota nas mulheres: Saiba como controlar dores provocadas pela doença - Pixabay

Essa forma de artrite causada pelo excesso de ácido úrico e famosa por provocar dores terríveis não é mais uma doença exclusiva dos homens, como sempre se pensou. Pesquisa da Universidade de Boston, nos Estados Unidos, revela que refrigerantes e bebidas açucaradas elevam seu risco também nas mulheres.

O estudo comprova que quem bebia pelo menos duas latas de refrigerante comum ou de suco de laranja diariamente apresentava um risco duas vezes maior de enfrentar o mal. Isso porque essas bebidas, ricas em um tipo de açúcar chamado frutose, tendem a acumular mais gordura no abdômen e desenvolver a resistência à insulina.

“E nessa condição parece haver um aumento da concentração de ácido úrico no sangue”, diz a nutróloga Isolda Prado, da Associação Brasileira de Nutrologia. “Ainda assim, para cada mulher acometida, são oito homens”, compara o reumatologista Páblius Braga.

Saiba como controlar as crises.

SINTOMAS

O quadro típico é de dor súbita e martirizante, inchaço, vermelhidão, elevação de temperatura e rigidez na articulação. A gota úrica geralmente ataca o dedão do pé (cerca de 75% dos casos), mas também afeta o tornozelo, calcanhar, joelho, mão e ombro.

CAUSA

Acredita-se que esteja ligada a defeitos no metabolismo das purinas - compostos encontrados no corpo e metabolizados em ácido úrico. A alimentação também é um dos desencadeantes da crise. Obesidade e consumo de bebidas alcoólicas podem deixar a gota ainda mais aguda.

ALIMENTAÇÃO X ATIVIDADE FÍSICA

Entre 18 e 20% do ácido úrico do corpo vem da alimentação. Por isso, cuidar do cardápio é fundamental. Siga uma dieta equilibrada, farta em vegetais e não tão carregada de carnes, frutos do mar, bebidas alcoólicas, refrigerantes e sucos industrializados. Beber, no mínimo, dois litros de água por dia ajuda a hidratar o corpo - fator de prevenção, já que reduz a chance de se formar cristais de ácido úrico no organismo.

A atividade física previne o desequilíbrio das taxas de ácido úrico. Uma caminhada diária de 30 minutos faz diferença.

EVITE

O consumo diário de carnes (de vaca, frango, porco e coelho), leguminosas (feijão, soja, grão-de-bico, ervilha e lentilha). cereais integrais e oleaginosas (coco, nozes, amendoim, castanha-do-pará e de caju).

CONSUMA SEM MEDO

Leite e derivados, ovos, chás, macarrão, sagu e frutas de todos os tipos.