AnaMaria

Homem doa 18 mil garrafas de álcool gel 'encalhadas' após punição online

Após punição da Amazon, homem precisa doar 18 mil garrafas de álcool gel

Da Redação Publicado em 17/03/2020, às 12h40

Irmãos tiveram que doar todo o estoque. - Facebook
Irmãos tiveram que doar todo o estoque. - Facebook

Em meio ao pânico causado pela pandemia de coronavírus, dois rapazes norte-americanos decidiram aproveitar o momento para ganhar dinheiro.

Matt Colvin e seu irmão, Noah, moradores do estado do Tennessee, ficaram famosos após estocarem 17 mil garrafas de álcool em gel e lenços desinfetantes em casa.

Longe de tentarem fazer o bem, eles tinham como objetivo revender os produtos na internet por um preço altíssimo.

O que eles não esperavam, porém, era que empresas como Amazon e eBay começaram a suspender contas que faziam negócios do tipo, tornando o “investimento” inútil.

TRABALHOSO

Noah crusou o estado norte-americano em uma viagem de cerca dois mil quilômetros no início de março, enquanto seu irmão ficou em casa recebendo carregamentos dos itens, prevendo um aumento na demanda. 

Após conseguirem fazer o estoque, eles começaram a anunciar os produtos com um preço muito acima do mercado. O famoso álcool em gel, por exemplo, era vendido normalmente por US$ 8, era anunciado por US$ 70.

Atentas ao caráter abusivo da venda, a Amazon e o eBay, no entanto, colocaram um fim abrupto aos planos. As empresas decidiram não permitir a prática de preços abusivos em itens de higiene vinculados ao coronavírus removendo contas e suspendendo anúncios. Os itens ficaram oficialmente encalhados.

Para piorar sua situação, eles também chamaram a atenção das autoridades e da Justiça, que emitiu uma ordem para que eles parassem de comprar e revender com sobrepreço itens médicos e iniciou uma investigação.

DOAÇÕES

Com tudo isso, Matt e Noah decidiram  doar todo o inventário de itens de higiene. No domingo de manhã (15), eles cederam dois terços dos produtos que tinham em mãos a uma igreja local para que pessoas mais necessitadas pudessem ter acesso às mercadorias. O outro terço foi recebido pelo escritório do procurador-geral do estado.