Insônia: conheça os perigos da ingestão de remédios para dormir

Saiba quais são os perigos da ingestão de remédios para dormir

Da Redação Publicado sábado 18 janeiro, 2020

Saiba quais são os perigos da ingestão de remédios para dormir
A melhor maneira de lidar com a dificuldade de dormir é o tratamento das doenças bem como a melhora dos hábitos - Banco de Imagem/Getty Images

A insônia tem relação direta com hipotireoidismo, rinite, sinusite, dores crônicas e depressão. Por isso, esses males devem ser diagnosticados logo, para que possam ser tratados antes ou simultaneamente à insônia. 

No entanto, ela também pode ocorrer por conta de maus hábitos (sedentarismo, a ingestão de alimentos inadequados à noite, uso de bebidas alcoólicas ou drogas em excesso).

A melhor maneira de lidar com a dificuldade de dormir é o tratamento das doenças bem como a melhora dos hábitos. Medicamentos para dormir podem ser indicados, mas seu uso deve ser criterioso, mesmo daqueles remédios considerados naturais, como melatonina ou antialérgico descongestionante. 

Costuma-se indicar antidepressivos e antipsicóticos em dose baixa. A recomendação é evitar a prescrição de ansiolíticos benzodiazepínicos (os tarjas pretas), pois causam dependência. 

É por isso, então, que o fundamental é tratar o problema causador da insônia. Quando há um transtorno de ansiedade associado, podemos utilizar um anticonvulsivante com efeito ansiolítico, que diminui a ansiedade. 

Tudo isso para que você possa entender que medicamentos com outras finalidades podem ser usados para a melhora do sono, mas não são a escolha mais acertada, principalmente por causa dos seus efeitos colaterais (eles podem mexer com a memória, impulsionar o comer etc). 

O ideal é tentar deixar de usar remédio para a insônia. Mas com parcimônia, especialmente aqueles de tarjas pretas, que provocam abstinência, ansiedade e insônia rebote. No geral, o tempo de uso deve ser o mais breve possível para que logo o sono recupere o seu ciclo normal. 

Caberá ao médico buscar essa meta e meios para induzir a um sono mais natural por meio de estratégias de mudanças de comportamento, relaxamento, respiração e uso correto da cama! 

LUIZ SCOCCA é psiquiatra com mais de 20 anos de atendimento em consultório próprio, além da participação em grupos de estudo, congressos e projetos sociais. Formado pela USP e membro das associações brasileira e americana de psiquiatria: ABP e APA.

Último acesso: 19 Sep 2020 - 21:50:46 (1094664).