AnaMaria
Facebook AnaMariaTwitter AnaMariaInstagram AnaMariaSpotify AnaMaria

Na dúvida, silencie

Nunca é prudente revidar comentários maldosos com mais ódio e rancor

Mel Aitak* Publicado em 02/02/2016, às 14h00 - Atualizado em 07/08/2019, às 17h44

1003 - shutterstock
1003 - shutterstock
Uma das lições que mais aprecio vem do budismo. E diz o seguinte: “Pense no que vai dizer antes de abrir a boca. Seja breve e preciso, já que cada vez que deixa sair uma palavra, deixa sair uma parte do seu chi (energia vital). Assim, aprenderá a desenvolver a arte de falar sem perder energia”. 
Se as pessoas soubessem a importância de ficar em silêncio sempre que a vida nos contraria, fariam isso com mais frequência. Os que acreditam que permanecer calada é uma atitude covarde deveriam pensar duas vezes. Como nos ensina o budismo, calar-se é evitar gastar sua preciosa energia com o que não vale a pena e com sentimentos como ódio, rancor e desamor. 
Quando calamos, simplesmente não entramos na faixa vibracional daquela pessoa e a deixamos esbravejando sozinha. Fazer silêncio ajuda a aquietar a mente e a apaziguar o coração. Como mais uma vez nos mostra o budismo, “se você não tem nada de bom a dizer, não diga nada”. Dessa forma, você preserva a sua paz interior e não entra na energia de guerra do outro.
Aproveite que o ano está apenas começando e faça as transformações que a sua vida está pedindo. Reveja costumes, hábitos alimentares e tudo o que não está mais em sintonia com o novo padrão que você deseja para a sua vida. Fique em silêncio e respeite 
a vida em todas as suas formas. Que venha 2016. Mas, para o seu bem e do planeta, permaneça sempre na luz!






* Mel Aitak é mestre em reiki, terapeuta holística, naturopata e estudiosa dos temas ligados à espiritualidade.