AnaMaria
Facebook AnaMariaTwitter AnaMariaInstagram AnaMariaSpotify AnaMaria

Não deixe a correria do dia a dia judiar da sua coluna!

Evite sobrecarregar a região da lombar e, se possível, leve a postura saudável para o ano que inicia

Ana Bardella Publicado em 19/01/2016, às 10h00 - Atualizado em 07/08/2019, às 17h44

AM - shutterstock
AM - shutterstock
Corre pra cá, corre pra lá... Na casa de muitas famílias, o dia a dia é cheio de agitação. Acabamos tendo que dar conta de várias 
atividades que podem prejudicar as costas e resultar em problemas futuros. Wilson Dratcu, ortopedista do Hospital São José, em São Paulo, e presidente da Sociedade Brasileira de Coluna Minimamente Invasiva, aponta onde moram os perigos das atividades cotidianas – e ensina como fugir de cada um deles.

Casa bonita... e você disposta!

É natural querer deixar os cômodos limpinhos antes de receber os parentes, mas não precisa exagerar. No momento de arrumar as camas, por exemplo, procure não levantar o colchão do estrado só para o lençol ficar mais esticado – o movimento brusco força demais a coluna. Na hora de erguer objetos muito pesados do chão vale o mesmo cuidado. Por isso, procure distribuir o peso nos
joelhos, se agachando para pegá-los.
Passar a roupa, cozinhar em pé por horas e lavar a louça depois do almoço ou jantar festivo também são atividades que podem causar dores na região lombar. O ideal é ter acesso a uma tábua de passar, um fogão e uma pia adequados à sua altura. Assim, não precisará se encurvar demais para realizar as tarefas domésticas. Se puder, faça pequenas pausas durante as atividades para variar a posição do corpo. Outra coisa que prejudica a coluna é guardar panelas, livros ou outros objetos em armários muito baixos, ou mesmo cuidar de hortas que ficam rentes ao chão. Nesse caso, vale a pena comprar um banquinho, daqueles bem baixinhos. Quando for fazer essas atividades, sente-se nele e procure deixar o tronco sempre alinhado.

Nada de exagerar no salto

Claro que pode usar salto alto! O que não vale é ir trabalhar com um desses todos os dias e sair assim aos finais de semana também. Afinal, o corpo humano tem algumas curvas naturais, que nos ajudam a manter o equilíbrio. Quando colocamos um salto, modificamos essa estrutura, o que, a longo prazo, pode causar problemas no pé e na coluna. Se for bater perna atrás dos presentes das crianças, use um tênis bem confortável, ok?


Para fazer o ano inteiro

Outras situações cotidianas também podem prejudicar o funcionamento da sua coluna. Que tal repensar seus hábitos?

Estresse ou depressão

O corpo de uma pessoa estressada tende a se contrair sem que ela se dê conta, gerando desconforto e dores nas costas. Além disso,
pesquisas associam quadros depressivos a dores lombares crônicas. Explicação: o estado emocional leva o corpo a desenvolver
certas inflamações, que fazem com que as dores sejam mais intensas e durem por mais tempo. Também é interessante lembrar
que quando uma pessoa está em condições externas favoráveis tende a sentir menos dor. Já quando ela está irritada e enfrentando
outros problemas emocionais, tudo parece incomodar mais, concorda?


Sedentarismo
Uma das estruturas mais importantes da nossa coluna é o disco intervertebral, espécie de amortecedor localizado entre as vértebras. Quando a gente se movimenta pouco, o metabolismo deste disco fica desregulado, o que pode gerar problemas e muita dor. Por isso, aproveite a energia do comecinho do ano para começar a praticar alguma atividade física regularmente!
Qualquer uma é válida. Mas se a intenção é cuidar mesmo da coluna, aposte em natação, dança, musculação, ioga e pilates – são os
exercícios mais indicados. Você fica saudável e aproveita para entrar em forma.


Cigarro
Sabia que fumar também pode causar falhas no funcionamento do disco intervertebral? Pois é, os perigos desse hábito vão muito além dos riscos para o pulmão e o coração. O cigarro interfere principalmente nas regiões onde a circulação do sangue é mais fina. Isso faz com que os nutrientes cheguem com mais dificuldade até o disco e, portanto, contribui para que ele se degenere mais rapidamente.