AnaMaria
Busca
Facebook AnaMariaTwitter AnaMariaInstagram AnaMariaYoutube AnaMariaTiktok AnaMariaSpotify AnaMaria

O que é disforia de gênero? Entenda condição de Maya Mazzafera

Condição comum antes e depois do início do processo de transição, entenda o que é a disforia de gênero

Marina Borges

por Marina Borges

mborges_colab@caras.com.br

Publicado em 28/05/2024, às 09h00

WhatsAppFacebookTwitterFlipboardGmail
Maya Mazzafera passou por transição de gênero - Reprodução/Instagram
Maya Mazzafera passou por transição de gênero - Reprodução/Instagram

Recentemente, a influenciadora digital Maya Mazzafera anunciou em seu perfil do Instagram uma mudança significativa em sua vida: ela, que antes era conhecida como Matheus Mazzafera, revelou sua nova identidade de gênero. Muito famosa pelo quadro 'Hotel Mazzafera', a artista conta com mais de 8 milhões de inscritos em seu canal do YouTube e, agora, compartilha com seus seguidores sua jornada como mulher trans. 

Poucos dias após anunciar sua transição, Maya compartilhou um desabafo nos Stories do seu perfil do Instagram, revelando que sofre com disforia de gênero. "Dito que sou e estou uma pessoa muito feliz, nessa minha felicidade, às vezes tenho momentos mais felizes e às vezes triste. Como todo mundo!!! Às vezes, do nada, ou por algum motivo, tenho uma disforia muito grande", iniciou ela.

"Isso começou quando eu comecei minha transição. Os médicos me falaram que é normal para muitas meninas trans sentirem isso nos primeiros anos de transição!!! Às vezes a disforia é tanta, que eu realmente prefiro ficar sozinha e não ser vista por ninguém", completou Maya. A seguir, AnaMaria te explica melhor o que é disforia de gênero e como essa condição pode se manifestar mesmo após o início do processo de transição.

O que é disforia de gênero?

o que é disforia de gênero
Foto: Freepik

A disforia de gênero é uma condição em que a pessoa experimenta uma profunda insatisfação e desconforto com o sexo atribuído ao nascer e o gênero com o qual se identifica. Este desconforto pode causar sofrimento significativo e dificuldade na vida diária. A disforia de gênero é mais do que apenas uma sensação de descontentamento com o próprio corpo; envolve uma discordância persistente entre o gênero percebido internamente e as características físicas externas.

Essa condição pode se manifestar de várias formas, incluindo o desejo de ser tratado como o gênero com o qual se identifica, o desejo de se livrar das características sexuais do próprio corpo ou a forte convicção de que se tem os sentimentos e reações típicas do gênero com o qual se identifica. A disforia de gênero pode começar na infância ou se desenvolver mais tarde na vida.

Disforia de gênero após transição

Para além do que foi citado acima sobre o que é disforia de gênero, esta condiçãopode persistir ou até mesmo surgir após o início do processo de transição, como evidenciado pelo relato de Maya Mazzafera. Ou seja, mesmo depois de iniciar o processo de transição, que pode incluir terapia hormonal e cirurgias de afirmação de gênero, muitas pessoas ainda podem enfrentar episódios de disforia de gênero. Isso é normal e pode ser parte do processo de adaptação à nova identidade de gênero.

o que é disforia de gênero
Maya Mazzafera após transição - Foto: Reprodução/Instagram

Maya Mazzafera, por exemplo, descreve momentos de intensa disforia, apesar de ser geralmente feliz com sua transição. Esses sentimentos podem surgir de várias maneiras:

  • Expectativas x realidade: a transição pode não atender todas as expectativas que a pessoa tinha sobre como se sentiria após as mudanças físicas e sociais. A diferença entre o que se esperava e a realidade pode causar episódios de disforia;

  • Pressões sociais e estigma: a pressão social e o estigma associados à transição de gênero podem aumentar a ansiedade e o desconforto, contribuindo para a disforia de gênero. Comentários negativos, discriminação ou a sensação de não ser plenamente aceito podem intensificar esses sentimentos;

  • Adaptação física e emocional: o corpo passa por muitas mudanças durante a transição, e a adaptação a essas mudanças pode ser emocionalmente desafiadora. A pessoa pode sentir que ainda não alcançou plenamente a congruência entre corpo e identidade de gênero, o que pode levar a sentimentos de disforia de gênero;

  • Autoimagem e aceitação pessoal: mesmo após a transição, a autoimagem e a aceitação pessoal podem ser complexas. Pode haver uma luta contínua para aceitar completamente o próprio corpo e identidade, especialmente quando a autoimagem ainda está se ajustando às mudanças.

Os profissionais de saúde mental reconhecem que é comum que pessoas trans enfrentem disforia de gênero durante os primeiros anos de transição. Este período pode envolver uma série de ajustes emocionais e físicos. De acordo com especialistas, é essencial que essas pessoas recebam apoio contínuo de terapeutas, grupos de apoio e da comunidade para ajudá-las a lidar com esses sentimentos.

Assim, enquanto a transição pode aliviar muito da disforia de gênero experimentada antes, é importante entender que ela pode não eliminar completamente todos os sentimentos de desconforto. Por isso, fazer um acompanhamento médico e psicológico adequado é fundamental para ajudar a gerenciar e minimizar esses episódios de disforia, promovendo o bem-estar geral da pessoa.

LEIA TAMBÉM

Como funciona a transição de gênero? Entenda o processo de Maya Mazzafera

Confira cinco artistas trans que brilharam em novelas da Globo

Gabriela Loran, de 'Renascer', revela detalhes sobre cirurgia de redesignação sexual