AnaMaria

Otite: como evitar e tratar a famosa dor de ouvido? Veja dicas

Em sua coluna de estreia, médica otorrino explica problema comum no verão

Da Redação Publicado em 19/01/2021, às 09h20

a frequência de mergulhos em piscina facilita a entrada de bactérias - Pexels por Pixabay
a frequência de mergulhos em piscina facilita a entrada de bactérias - Pexels por Pixabay

Olá! Eu sou a médica otorrinolaringologista Maura Neves, e é com grande alegria que a partir de hoje trarei informações sobre doenças respiratórias e cuidados com a saúde para vocês! Para a nossa primeira coluna, vamos falar das dores de ouvido, um dos problemas mais frequentes nas épocas mais quentes do ano. Elas são tecnicamente conhecidas como otites e podem ser de dois tipos:

OTITE EXTERNA: ocorre quando a inflamação ou infecção atinge a pele do canal externo do canal auditivo.

OTITE MÉDIA: surge quando a inflamação ou infecção atinge a parte atrás do tímpano, a orelha média. Neste local estão localizados os ossículos do ouvido (martelo, bigorna e estribo).

No verão, a otite externa (também chamada de otite do nadador) é mais a frequente. Isso acontece porque a frequência de mergulhos em piscina e mar aumentam com o calor. A presença de água dentro do canal, porém, deixa a pele mais úmida e remove a defesa natural de gordura, facilitando a entrada de bactérias.

No verão, a otite externa é mais a frequente Foto: Pixabay

Além disso, o uso de algum objeto -como hastes flexíveis, tampas de caneta e palitos- para “ajudar” a secar o ouvido ou tirar a água que entrou, piora o quadro. A pele, já sensível, sofre um trauma e a infecção se inicia.

Já a otite media não é causada pela entrada de água nos ouvidos, mas por gripes, resfriados ou rinites. Ou seja, há uma infecção da via respiratória que se estende para os ouvidos. Por este motivo, é um tipo de otite mais frequente nos meses de outono e inverno.

AI, COMO DÓI!
As otites tem como principal sintoma a dor de ouvido, que pode ser muito intensa, especialmente na otite externa. Outros sintomas são a redução da audição e saída de secreção dos ouvidos que pode ocorrer em ambos tipos.

Muitas vezes o que as diferencia é a ocorrência de febre, (mais frequente nas otites medias e rara de ocorrer na externas) e o inchaço do canal auditivo (na otite externa o canal fica estreito e muito sensível, até para tocar na orelha).

TRATAMENTO
Para tratar as otites são utilizados anti-inflamatórios e analgésicos para controle da dor. Uma dica para ajudar a aliviar é usar compressas quentes na orelha: um pano aquecido, bolsa de água quente ou mesmo um gorro ajudam até que os medicamentos façam efeito!

Antibióticos são prescritos pela médico na forma de gotas otológicas ou por via oral, nos casos mais graves. Já a perda auditiva nesta infecção é transitória e desaparece após o início do tratamento.

SAI PRA LÁ!
Dá para evitar a otite externa com algumas atitudes simples:

• SEQUE BEM OS OUVIDOS APÓS O MERGULHO: para isso, podem ser usadas toalhas ou secador de cabelos em temperatura baixa (e a uma distância segura das orelhas);

• ESQUEÇA AS HASTES FLEXÍVEIS: elas até ajudam a limpar o lado de fora da orelha, mas nunca devem ser colocadas dentro do canal auditivo.

• "TÁ COÇANDO!": sei que é a sensação é aflitiva, mas a dica aqui é coçar apenas externamente

• DICA ESPERTA: Se ficar com água presa no ouvido, pode-se usar 1 ou 2 gotas de álcool etílico 70° para ajudar a evaporar a água. Além disso, nunca pingue óleo quente ou qualquer outra coisa nos ouvidos.

• No caso da otite média, o ideal é fazer tratamento da rinite e prevenção de doenças respiratórias, como gripes e resfriados. Na dúvida: procure um especialista!

*DRA. MAURA NEVES é formada na Medicina pela Faculdade de Medicina da USP.
Residência em Otorrinolaringologia pelo HC- FMUSP. Fellow em Cirurgia Endoscópica pelo HC- FMUSP. Doutorado pela Faculdade de Medicina da USP. Médica Assistente do Hospital Universitário da Universidade de São Paulo -SP. Aqui em AnaMaria, trará quinzenalmente um conteúdo novo sobre a saúde do ouvido, nariz e garganta. Instagram: @dra.mauraneves