Por que sentimos vontade de doces após o almoço? Saiba driblar seu cérebro

Mantenha a dieta e o foco com essas dicas para tentar manter o equilíbrio

Bianca Vilela, colunista de AnaMaria Publicado quinta 29 abril, 2021

Mantenha a dieta e o foco com essas dicas para tentar manter o equilíbrio
Compulsão por alimentos açucarados aumenta neste período do dia - Pixabay/stevepb

Fala galera da AnaMaria, tudo bem? Quero saber quem aí sofre com aquela “larica” por doces depois de almoçar? Saiba que isso não é apenas impressão, pois realmente a compulsão por alimentos açucarados aumenta neste período do dia.

Existem algumas explicações fisiológicas para este desejo, mas nada que possa se transformar em uma desculpa para você sair da dieta todos os dias. Para este bate-papo, convidei minha amiga nutricionista Nathalia Escudeiro, que vai nos ajudar na missão de controlar nossa vontade excessiva por doces! 

Segundo ela, leva um tempo para que os hormônios e neurotransmissores liberados na corrente sanguínea atinjam o cérebro durante o processo de digestão. Algumas dessas substâncias, justamente, têm o papel de sinalizar para o corpo (cérebro) que o indivíduo está se alimentando, mas não é uma ação instantânea

Logo, se comemos muito rápido, corremos o risco de terminar a refeição sem que os hormônios, e neurotransmissores, tenham desempenhado suas funções. Outro ponto muito importante é a composição da sua refeição. Naturalmente, a glicose é um dos nutrientes mais requisitados e utilizados pelo nosso corpo para geração de energia. 

"Logo, é importante que o grupo alimentar dos carboidratos faça parte da sua refeição de almoço e jantar, já que estes são as fontes principais de glicose. Quando você não consome os carboidratos, é comum que seu corpo peça por glicose, por isso a vontade de doce - açúcar -, que fornecerá rapidamente a glicose que o corpo tanto precisa”, afirma Nathalia.

ADAPTAÇÕES NO CARDÁPIO
Carnes, gorduras e verduras, também fornecem glicose ao longo do processo digestivo, porém é um caminho mais longo. Então, se você costuma cortar carboidratos sem orientação profissional, se atente a este sinal de "vontade de doce", pois talvez seja necessário fazer algumas adaptações no seu cardápio.

Ter uma refeição equilibrada é fundamental para controlar este sintoma após as refeições. Assim como a falta do grupo alimentar dos carboidratos pode gerar essa vontade de doce, o excesso também. 

Se fornecermos muito carboidrato de uma única vez, o nosso organismo tende a liberar insulina, quase que instantaneamente, para captar toda a glicose que será liberada e, antes que você termine sua refeição, a vontade por doce já estará pronta para surgir. Esse é o efeito que chamamos de rebote, quando mesmo consumindo o que o corpo precisa, ele pede mais e mais.

Independentemente da razão que te leva a ter esta vontade, saiba que é possível – e muito importante – que você se mantenha no controle da situação. Pensando nisso, separamos algumas dicas coringas para saciar sua vontade, sem prejudicar sua saúde.

COMA DEVAGAR
Ter atenção plena durante as refeições, proporcionará o tempo necessário para que os hormônios e neurotransmissores sinalizem para o seu cérebro que você está comendo. Assim, tenha calma para se alimentar.

EQUILIBRE SUA REFEIÇÃO
Sempre dê preferência para uma refeição completa, com todos os grupos alimentares presentes: carboidrato, proteínas animais e vegetais, gordura, verdura e legumes. Não faça restrições sem acompanhamento de um especialista.

FAÇA TROCAS INTELIGENTES
Existem algumas alternativas mais saudáveis para substituir aquela barra de chocolate ao leite, ou aquele belo pudim de leite e gelatina do self-service. Opte por versões menos prejudiciais, como chocolates com mais cacau (mínimo 60%), preparações com produtos light ou diet, ou até mesmo com produtos naturais, como pastas de castanhas e amendoim. Só não exagere na porção.

USE FRUTAS
A combinação de frutas com alguma "guloseima", pode ser uma boa estratégia para aumentar o tempo de mastigação, dando espaço para que o cérebro entenda que seu corpo está recebendo glicose. Além disso, também ajuda a reduzir a quantidade de doce ingerida, podendo refletir diretamente no total de calorias ingeridas.

NÃO TENHA À DISPOSIÇÃO
Se você tiver disponível opções não muito saudáveis, todas às vezes que surgir esta vontade por doces, certamente acabará consumindo. Então, mantenha fora de alcance e não se auto sabote.

Preparamos um vídeo para as redes sociais, não deixe de assistir e, se gostar, compartilhe com seus amigos. Quanto mais gente souber dessas dicas, melhor!

  • BIANCA VILELA é mestre em fisiologia do exercício pela Unifesp (Universidade Federal de São Paulo), palestrante e produtora de conteúdo. Desenvolve programas de saúde in company em grandes empresas por todo o país há mais de 15 anos. Na AnaMaria fala sobre saúde no trabalho, produtividade e mudança de hábitos. Instagram: @biancavilelaoficial

Último acesso: 23 Sep 2021 - 12:38:58 (1144271).