AnaMaria

Preservação da memória: especialistas ensinam hábitos para manter o cérebro ativo

Especialistas ensinam hábitos para manter a preservação da memória

Ana Bardella Publicado em 20/10/2019, às 08h00

O exercício intensifica a capacidade cognitiva, de atenção e concentração - Banco de Imagem/Getty Images
O exercício intensifica a capacidade cognitiva, de atenção e concentração - Banco de Imagem/Getty Images

Quando não lembra de uma informação, qual o seu impulso? Claro, checar o dado na internet. Ao mesmo tempo em que, graças às tecnologias, ampliamos áreas de conhecimento, também nos tornamos reféns delas. 

Se você tem dúvidas, pense em quantos números de celular sabe de cor. Naturalmente, poucos. Afinal, não nos esforçamos para gravar este tipo de informação. Afinal, estão sempre disponíveis, basta alguns toques na tela

Na opinião de Elie Cheniaux, psiquiatra e escritor, este fator, somado ao excesso de atividades e responsabilidades, pode interferir negativamente na saúde da memória. 

“Ela é uma das nossas funções cognitivas mais importantes e serve para arquivar experiências e informações. Sua perda acomete, principalmente, a memória de curto prazo, aquela que usamos para nos lembrar de fatos recentes”, explica. 

Descubra como prevenir o problema.

HÁBITOS SAUDÁVEIS
Conheça alguns costumes que podemos cultivar para preservar a memória, além de retardar o surgimento de doenças degenerativas capazes de comprometer o desempenho, como o mal de Alzheimer. 

  • Praticar atividade física aeróbica pelo menos três vezes na semana. O exercício intensifica a capacidade cognitiva, de atenção e concentração. 
  • Estar com o sono em dia. Noites maldormidas interferem na manutenção da memória, já que ela é consolidada durante este período. 
  • Não fumar. As substâncias presentes no cigarro provocam o envelhecimento cerebral antes do tempo. 
  • Manter o cérebro sempre ativo. Ler, aprender novas línguas, praticar exercícios matemáticos e socializar com as pessoas são apenas alguns dos principais pontos para fazer a manutenção da memória.

EVITE CONSUMIR 
Gorduras ruins (saturadas e trans)
Presentes em alguns biscoitos, margarinas, bolos industrializados, batata frita, óleos e embutidos, estas gorduras prejudicam o funcionamento corporal, podem fazer cair a vitalidade e interferir de forma negativa no funcionamento cerebral. 

Bebidas alcoólicas
Elas provocam desidratação, danificando os neurônios e reduzindo as funções do cérebro. Se não conseguir cortá-las de vez, prefira ingerir pequenas quantidades apenas uma vez por semana e sempre intercalar seu consumo com água. 

Açúcar
Os diferentes tipos alteram a glicemia do organismo, desviando o fluxo sanguíneo saudável da região cerebral. O córtex pré-frontal e os lobos temporais recebem menos oxigênio e nutrientes vitais, o que resulta em prejuízos para a memória. 

APOSTE NESTES ITENS 
Ovos
Eles são ricos em colina, uma vitamina que ajuda na formação da bainha de mielina, que envolve os neurônios e é vital para a transmissão de impulsos nervosos. A saúde dela é essencial para estímulos do cérebro associados à aprendizagem e atenção. 

Gorduras boas (poli-insaturadas e monoinsaturadas)
O ômega 3, por exemplo, contém ácidos graxos, necessários para o bom desempenho das células neurais. Invista em peixes como salmão e atum, além de azeite extravirgem, abacate e oleaginosas, como castanhas, nozes e sementes de abóbora, linhaça e chia. 

Fontes de triptofano
Eis um dos responsáveis pela síntese de serotonina, hormônio que regula o sono, o humor, o apetite e a temperatura corporal, além de estimular áreas do cérebro relacionadas à memória e aprendizagem. Coma banana, aveia, trigo sarraceno, peixes e frutos do mar e chocolate amargo (70% cacau).