bem-estar-e-saude   / Saúde capilar

Progressiva: sabia que não existe isso de ser 'sem química'?

Vale lembrar que água não alisa o cabelo, pois são necessários elementos químicos

*Bruna Nunes, colunista de AnaMaria Publicado quarta 3 fevereiro, 2021

Vale lembrar que água não alisa o cabelo, pois são necessários elementos químicos
Entenda mais sobre a escova progressiva - Pixabay

O tema da nossa conversa de hoje será alisamento/alinhamento. Tenho quase certeza que você já fez, ou já pensou em fazer, algum tipo de alisamento a base de formol ou de ácido no seu cabelo (seja progressiva, selagem, botox e afins). 

Estou certa? Só é bastante válido você conhecer os prós e contras desse tipo de procedimento.

O QUE É A FAMOSA "PROGRESSIVA"?
Esse tipo de procedimento consiste na aplicação de um produto à base de formol e/ou ácido que, ao entrar em contato com o calor do secador e da prancha, tem o poder de dar uma nova estrutura ao fio, seja alisando completamente ou apenas promovendo uma redução de volume e do tão temido frizz.

Mesmo que muitas marcas aleguem que existe progressiva sem química (sem formol) é importante salientar que, mesmo sem o componente na composição, o produto precisa de um elemento químico que possa fazer a alteração na estrutura capilar.

Isso, normalmente, vem com os ácidos, seja ele glioxílico, lático ou mandélico entre outros. Ou seja: de qualquer maneira acaba existindo um componente químico presente. Vale lembrar que água não alisa o cabelo, pois são necessários elementos químicos para se fazer a desestruturação.

Abaixo, listei alguns prós e contras desse tipo de procedimento. Leia, pense e avalie se realmente vale a pena!

PRÓS

  • Praticidade
  • Cabelo Alinhado
  • Cabelo sem frizz
  • Cabelo com volume reduzido (para quem não gosta desse tipo de estética)
  • Cabelo brilhoso
  • Cabelo fácil de escovar
  • Cabelo parcialmente ou totalmente liso (para quem busca esse tipo de estética)
  •  

CONTRAS

  • Cabelo sensível
  • Cabelo extremamente resistente a absorção de nutrientes oferecidos por tratamentos capilares.
  • Oleosidade Excessiva
  • Risco de corte químico
  • Cabelo vulnerável a quebra e/ou queda
  • Cabelo estático
  • Necessidade de retoque constante.
  • Desestruturação capilar
  • Risco de alopecia Química

Agora, gostaria que você compartilhasse comigo a sua experiência com esse tipo de alisamento. Você é do time a favor ou contra? Escreva nos comentários do Facebook!

*BRUNA NUNES é hairstylist apaixonada por moda. Recebe suas clientes no Jacques Janine (Unidade Jardins) e aqui, em AnaMaria, vai dar dicas de cuidados, cor, corte e penteados. Instagram: @brunanunesoficial

Último acesso: 26 Oct 2021 - 09:28:58 (1138668).