AnaMaria
Facebook AnaMariaTwitter AnaMariaInstagram AnaMariaSpotify AnaMaria

Proteja-se do Alzheimer em 20 passos

Livro recém-lançado lista atitudes simples que podem (e devem!) ser adotadas no dia a dia para deixar o cérebro muito mais resistente

Patricia Gebara Publicado em 03/11/2015, às 10h00 - Atualizado em 07/08/2019, às 17h44

saúde - shutterstock
saúde - shutterstock
O  Alzheimer virou uma das doenças mais temidas pelos idosos. Pudera: ainda não há cura para o problema, que afeta a memória, a atenção e a linguagem e que, no último estágio, deixa a pessoa incapaz de cuidar de si própria. Mas nada de sentar e esperar pelo pior: estudos já comprovaram que manter um estilo de vida mais saudável ajuda muito a blindar o cérebro. Baseado neles, o livro 100 Dicas Simples para Prevenir o Alzheimer – E a Perda de Memória, de Jean Carper (Editora Sextante, R$ 26,90), traz alguns hábitos que devem ser incorporados ao nosso dia a dia. Selecionamos 20 deles para você começar a se proteger desde já. Aproveite! 

1 Beba com moderação (e prefira vinho tinto!)
Quem bebe uma dose de álcool por dia tem menos chances de desenvolver doenças neurodegenerativas. Mas nem se empolgue: o excesso antecipa em dois ou três anos o início da demência. O ideal é tomar até 350 ml de cerveja, 140 ml de vinho ou uma dose de licor por dia. O vinho tinto é o que mais protege, graças ao resveratrol (antioxidante).

2 Exagere na salada
Os alimentos que mais contêm antioxidantes são as frutas, os legumes e as verduras. A substância é capaz de desacelerar o declínio cognitivo e prevenir a doença. Por isso, aposte nesse trio para “alimentar” seu cérebro. Brócolis, laranja, framboesa, ameixa e maçã com casca são ótimas pedidas!

3 Seja curiosa
Aprender coisas novas ajuda a manter o cérebro ativo. Que tal escolher um caminho diferente para ir ao trabalho, matricular-se num curso legal ou aprender um idioma? 

4 Aposte em peixes gordos
Comer peixe pelo menos uma vez por semana reduz em 60% a taxa de declínio cognitivo em idosos. Os médicos dizem que é o mesmo que rejuvenescer quatro anos! Prefira os ricos em gordura, como salmão, atum, sardinha e arenque, e ponha-os no prato até três vezes por semana. 

5 Use canela 
A especiaria auxilia na produção de insulina, hormônio que ajuda as células a transformar glicose em energia. Se isso não ocorre, formam-se placas da proteína beta-amiloide – responsável pelo Alzheimer – entre os neurônios. Consumir ½ colher (chá) por dia é o suficiente! 

7 Vá ao oftalmo
Um estudo da Universidade de Michigan, nos EUA, mostrou que manter a visão saudável na velhice faz as chances de desenvolver demência despencarem em 63%. Ainda não se sabe ao certo o motivo, mas os pesquisadores afirmam que ter o sentido comprometido dificulta a participação em atividades mentais e físicas, o que acaba acelerando de certo modo o problema.

8 Beba suco de maçã
A bebida integral (100% fruta) é considerada um remédio natural. Pesquisas indicam que o consumo estimula a produção de acetilcolina no cérebro, substância semelhante à do remédio usado para o tratamento da doença. Se não quiser tomar o suco, coma uma maçã por dia.

9 Gorduras? Só das boas
As gorduras trans e saturadas aceleram a degeneração do cérebro. Corte as frituras, consuma menos carne e compre semidesnatados ou desnatados – enquanto um copo de leite desnatado tem zero de gordura saturada, um copo integral tem 4,2 g.  Invista nas gorduras do bem: azeite abacate, oleaginosas (noz, castanha...)
10 Relaxe
A tensão é um fator de risco para a demência: se você está muito estressada, seu corpo produz cortisol, um hormônio que pode causar Alzheimer. Descanse, desabafe com um amigo, procure um psicólogo, faça meditação ou busque um hobby que a faça se sentir bem.

11 Pare para o cafezinho
Ele age como anti-inflamatório, ajudando a bloquear os efeitos nocivos do colesterol no cérebro. Isso diminui os riscos de AVC, depressão e diabetes – fatores que contribuem para desencadear a demência. Recomendam-se duas a quatro xícaras por dia. 

12 Coma chocolate 
Um quadradinho do tipo amargo por dia reduz a pressão arterial e aumenta a circulação de sangue no cérebro – dois fatores que aumentam a memória, o poder de concentração e também de raciocínio.

13 Levante do sofá! 
A prática de atividade física não faz bem apenas ao corpo. Ela estimula o cérebro também! Se você está sem tempo e dinheiro, não tem problema: dá pra se exercitar mesmo sem ir à academia! Use as escadas em vez do elevador, dance na sala, ande de bicicleta, leve seu cachorro para passear...

14 Quebre os ovos 
Presente, principalmente, no ovo, a colina é uma vacina contra o Alzheimer! Inclusive, se a mulher mantiver uma dieta rica em colina durante a gravidez, a criança tem menos chances de desenvolver a doença. Afinal, ela é importante para a preservação 
da atividade cerebral. Além do ovo, a colina está presente no gérmen de trigo, no amendoim, no pistache, no camarão...

15 Controle a pressão arterial
Além de evitar problemas sérios, como infarto e AVC, manter a pressão sob controle ajuda a prevenir falhas de memória. Isso porque a a hipertensão acelera o declínio cognitivo em idosos. Maneire no sal e nos alimentos industrializados!

16 Largue o cigarro
O hábito de fumar dobra o risco de desenvolver Alzheimer. Quanto antes você parar, maiores são as chances do seu cérebro se recuperar dessa nuvem de fumaça! 

18 Afaste a depressão 
Cientistas descobriram que há uma leve queda da substância donepezil no organismo de quem está com depressão. E a falta dela colabora para falhas constantes de memória. Lute contra o problema, procurando ajuda médica e fortalecendo os laços com a família e com amigos.

19 Durma bem
O sono tem um papel muito importante na saúde do cérebro. Uma noite tranquila reduz o nível da tal beta-amiloide. Além disso, tire sonecas depois do almoço. Se tiver problemas como apneia e insônia, converse logo com seu médico! 

20 Olho na balança!
Além de desencadear obesidade, diabetes, colesterol e pressão alta, uma dieta desequilibrada (rica em açúcares e gorduras) envelhece o cérebro mais rápido. O excesso de peso na meia-idade, inclusive, causa até o encolhimento do órgão!