Saiba como prevenir o acúmulo excessivo de gordura no fígado

A doença também é conhecida como Esteatose Hepática

Da Redação Publicado sexta 16 outubro, 2020

A doença também é conhecida como Esteatose Hepática
Saiba como prevenir o acúmulo excessivo de gordura no fígado - Pixabay

Silenciosa e muito perigosa, a gordura no fígado é um problema recorrente para quem segue uma alimentação sem muitas regras. A enfermidade, também conhecida como Esteatose Hepática, ocorre quando as células do fígado começam a ser infiltradas por células de gordura (triglicérides).

Quando não tratada, a doença pode evoluir para quadros mais graves, como a cirrose. O médico Paulo Lessa explica para AnaMaria Digital que nos casos em que a quantidade de gordura passa dos 5% é o momento para se preocupar.  "A maioria das pessoas lembra que a doença pode ter origem no excesso de consumo de álcool, mas esquecem que também pode aparecer por conta do excesso de peso e obesidade”, conta.

O médico ainda ressalta que, muitas vezes, o fígado gorduroso não provoca nenhum tipo de sintoma e, por essa razão, a doença é tão grave. Segundo Lessa, o ideal é procurar um médico para ter um diagnóstico precoce e evitar consequências graves associadas à doença, como a necessidade de transplantar o órgão em razão de seu estado danoso.

"Nesses casos, a detecção se dá por meio de exames de ultrassonografia do abdômen, tomografia ou ressonância magnética, quando é possível notar o fígado aumentado", explica.

LISTA DE SINTOMAS DOS CASOS INTERMEDIÁRIOS E AVANÇADOS

  1. Cansaço e fadiga
  2. Perda de apetite
  3. Inchaço
  4. Dor de barriga constante
  5. Hemorragia
  6. Fezes sem cor
  7. Pele e olhos amarelos
  8. Alterações no sono
  9. Confusão mental

LISTA DE DICAS BÁSICAS PARA TRATAR A DOENÇA 

  1. Mudança na alimentação
  2. Cortar consumo de açúcar, farinha branca e gordura ruins
  3. Incluir no cardápio: Vegetais, grãos, castanhas e carnes magras
  4. Praticar atividades físicas
  5. Procure um médico para ter um diagnóstico precoce e evitar consequências graves associadas à doença

Último acesso: 25 Sep 2021 - 13:48:24 (1124340).