Saiba mais sobre lesão que ‘rasgou’ os músculos do peitoral de fisiculturista

Vídeo, que viralizou na última semana, mostra Ryan Crowley se lesionando durante prática de supino

Sabrina Castro, com supervisão de Vivian Ortiz Publicado quarta 31 março, 2021

Vídeo, que viralizou na última semana, mostra Ryan Crowley se lesionando durante prática de supino
Ryan Crowley 'rompeu' o músculo durante treino em academia de Dubai, Emirados Árabes - Instagram/@larrywheels

Ryan Crowley, de 23 anos, estava na academia praticando supino e aproveitou para gravar um vídeo e disponibilizá-lo em suas redes sociais. Durante o exercício, porém, foi possível ver o músculo do fisiculturista se ‘rompendo’. As imagens do acidente viralizaram nas redes sociais durante a última semana e provocaram arrepios nos espectadores.

Quem publicou o vídeo foi o também fisiculturista Larry Wheels, em seu perfil no Instagram. Na postagem, ele explicou que Crowley se machucou treinando em uma academia localizada em Dubai, nos Emirados Árabes. Como tratamento, ele precisou passar por uma cirurgia, que foi realizada com sucesso graças a uma vaquinha feita na internet.

Momento em que aconteceu a lesão de Crowley - Instagram/@larrywheels

Alexandre Stivanin, ortopedista do Hospital Samaritano e membro da Sbot (Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia), explica, em entrevista para AnaMaria Digital, que o fisiculturista provavelmente sofreu de uma avulsão do tendão no osso. Esse tipo de contusão exige tratamentos mais complexos, como intervenção cirúrgica (assim como no caso de Crowley). 

De forma geral, o tendão ‘escapou’ do osso, causando dor súbita, um hematoma roxo na pele acima do músculo afetado e uma falha no peitoral do paciente. Na cirurgia, os ortopedistas ‘reconectaram’ o tendão ao osso. Agora, o atleta passará por uma recuperação de seis a oito semanas e, depois, vai precisar fazer um tratamento com um fisioterapeuta para recuperar a função muscular.

Em alguns casos, a lesão atinge apenas as fibras musculares. Nestas situações, o tratamento costuma ser feito com imobilização da região afetada, de quatro a seis semanas, além do uso de medicamentos para minimizar a dor e a inflamação.


Ryan após atendimento hospitalar - Instagram/@larrywheels
 
COMO EVITAR?
Segundo Alexandre, quem malha deve optar por fazer um treino com aumento gradual de carga. Ou seja: nada de ceder à pressa. É preciso fazer os treinos com calma e, se possível, com acompanhamento de um educador físico. Também não deixe para treinar apenas nos fins de semana: a prática regular de exercícios pode ajudar ao fortalecimento do músculo.

Por fim, mais uma dica: tenha tempos adequados de descanso. Assim, seu corpo consegue recuperar as fibras musculares. Por isso, a intercalação de dias de treino por partes específicas do corpo (glúteos, pernas, braços) é tão importante.

Último acesso: 18 Apr 2021 - 07:37:39 (1143064).