AnaMaria
Facebook AnaMariaTwitter AnaMariaInstagram AnaMariaSpotify AnaMaria

Teclar demais pode causar WhatsAppinite

Uso excessivo do celular pode gerar problemas nas mãos, dedos e punhos

Izabel Duva Rapoport Publicado em 19/04/2018, às 19h06 - Atualizado em 27/04/2020, às 15h46

Cuidado com a tendinite do WhatsApp! - Shutterstock
Cuidado com a tendinite do WhatsApp! - Shutterstock

Se você usa o celular com muita frequência, cuidado: isso pode causar WhatsAppinite, uma síndrome também conhecida popularmente como a "tendinite do WhatsApp". Segundo Mateus Saito, ortopedista do Instituto Vita, clínica especializada em saúde no esporte, o movimento contínuo e repetitivo dos polegares aumenta o risco de desenvolvimento de mialgia (dores nos músculos das mãos), tendinite (inflamação nos tendões) no dedo polegar, artrite (inflamação nas articulações) e osteoartrite (desgaste da cartilagem das articulações) nos dedos, mãos e punhos. E com tanta gente transformando o celular em "escritório portátil" - só no Brasil, há um registro de 235,7 milhões de celulares de acordo com dados da Anatel, de fevereiro deste ano) -, a síndrome está mais comum do que se imagina. "É cada vez mais frequente a busca de tratamento desses males nos consultórios ortopédicos", conta Mateus. 

Veja também:
Dicas para não pagar mico nos grupos de WhatsApp
A hora certa de liberar o celular para a criançada!
O que é nomofobia?

O primeiro caso de WhatsAppinite foi descrito na revista de medicina The Lancet por uma médica da Espanha. No relato, uma mulher recebeu o diagnóstico pelo uso excessivo do smarthphone e do WhatsApp. "A síndrome recebeu o nome em 'homenagem' ao aplicativo de mensagens de texto mais popular. Este não é um termo técnico, tampouco científico, mas a história serve de alerta para todas as pessoas que exageram no uso de dispositivos portáteis como smartphones com conexão à internet, tablets e controles de videogame", diz.

O alerta serve também para pessoas que naturalmente já usam o polegar em movimento de pinça em suas atividades cotidianas como, por exemplo, quem trabalha como manicure, denstista, artista plástico, gamers.

Dicas de prevenção

- Evite carregar pesos ou segurar objetos de maneira contínua com a ponta dos dedos. "Ao carregar um prato ou um livro, por exemplo, pegue com a palma das mãos e não com a ponta dos dedos", explica o médico. 

- Evite digitar com os polegares sempre que houver possibilidade de usar outra interface, como o teclado convencional ou programas de reconhecimento de voz. 

- Faça pausas regulares no uso de dispositivos portáteis 


O que fazer em caso de dor
Os principais sintomas são dor na base do polegar ao final do dia ou após o uso dos aparelhos. "No início, a dor pode não ser tão evidente e percebida como um cansaço", diz. A recomendação inicial é repouso e uso de bolsa de gelo por 15 a 20 minutos (cuidado para não ter contato direto entre gelo e dedos). Caso a dor persista, a orientação é buscar por um médico especialista em mãos, que fará o  diagnóstico correto e encaminhar ao tratamento mais adequado para o caso. 

{# Taboola Newsroom #}