AnaMaria

Tremores ou Parkinson? Entenda a doença que acomete o apresentador Décio Piccinini

Apesar de afetarem os movimentos, ambas se manifestam de maneira bem diferente

Milena Garcia Publicado em 13/08/2021, às 11h40

Famoso foi diagnosticado com os tremores há 4 anos - SBT
Famoso foi diagnosticado com os tremores há 4 anos - SBT

O apresentador Décio Piccinini, de 75 anos, revelou que sofre com uma doença rara, chamada TE (tremor essencial). O distúrbio neurológico provoca tremores confundidos com a doença de Parkinson, porém as características e tratamentos das duas condições são bem diferentes. 

Em entrevista ao portal R7, o comunicador, conhecido por suas participações em programas do SBT, disse que foi diagnosticado com a doença há quatro anos. "Acho que isso está incomodando mais as pessoas do que a mim. Eu não tenho o menor problema em falar sobre o assunto", afirmou. 

TE X Parkinson
O geriatra Natan Chehter explicou, em entrevista à AnaMaria Digital, que a principal diferença entre o TE e a doença de Parkinson são as características dos tremores. “O tremor da doença de Parkinson ocorre em repouso e periférico, ou seja, afeta principalmente as extremidades do corpo, como as mãos e os pés”, pontua. 

Vale destacar que, ao contrário do que muitas pessoas pensam, os tremores não são a principal manifestação da doença de Parkinson. O distúrbio, que acomete o sistema neurológico e gera a rigidez dos músculos, pode causar constipação intestinal, alteração de pressão, dificuldade de deglutição e levar à demência. 

Por sua vez, o TE apresenta tremores centralizados no corpo - afetando pescoço, cabeça, mandíbula e até a língua. "Esse é um tremor de intenção, ou seja, aparece quando a pessoa vai fazer alguma coisa. No geral, a pessoa não está tremendo e, quando ela vai fazer algum movimento, o tremor exacerba”, ressalta.

Outra característica importante, mencionada por Décio, é o agravamento dos tremores em momentos de estresse. "Eu tenho problema de ansiedade. Não posso olhar para aquilo que  estou fazendo. Se tiver que olhar para a xícara que estou te entregando, vou tremer. É uma espécie de autocobrança", contou o apresentador.

ACOMPANHAMENTO
O tratamento da doença de Parkinson é feito através do fornecimento de dopamina aos neurônios, já que é a produção desse neurotransmissor que é afetada pela doença. Apesar disso, a condição é incurável e degenerativa. “O que tem que ser feito é acompanhamento próximo para que os novos remédios sejam incorporados ou sejam modificadas as doses à medida que a doença progride”, reforçou Natan.

Da mesma forma, também não há uma cura para os tremores essenciais, porém é possível aliviar os sintomas através de medicamentos. “O paciente com tremor essencial não vai ter tantos problemas que não sejam os problemas motores e o tratamento é mais específico para os tremores”. 

No caso de Décio, também foram oferecidas as possibilidades de realizar uma cirurgia ou seguir tratamento fisioterápico - o caminho a ser seguido deverá ser avaliado cuidadosamente por um especialista. “Eu ainda não me decidi por nenhum dos dois tratamentos”, ressaltou o apresentador.