Viciado em olhar no celular? Veja dicas para evitar rugas no pescoço

As chamadas 'tech necks' surgem de tanto ficar com a cabeça baixa ao utilizar o aparelho

Da Redação Publicado quarta 11 novembro, 2020

As chamadas 'tech necks' surgem de tanto ficar com a cabeça baixa ao utilizar o aparelho
Dra Karla Lessa fala sobre como prevenir e tratar as rugas causadas pelo uso excessivo de smartphones - Banco de imagens

A tecnologia está se tornando cada vez mais protagonista nas nossas vidas, tanto no trabalho como nos momentos de lazer. Apesar de essencial, o uso excessivo de smartphones e tablets pode causar alguns problemas de saúde, como insônia, lesões nas mãos e problemas na coluna.

Recentemente, uma nova condição foi diagnosticada em pessoas que costumam usar o celular com muita frequência: rugas no pescoço, ou, como foram apelidadas, as “tech necks”.

De acordo com a dermatologista Karla Lessa, elas surgem de tanto a pessoa ficar com a cabeça baixa ao utilizar o aparelho móvel. “O estresse mecânico da cervical inclinada pode causar essas linhas horizontais. Como a pele do pescoço e colo é mais fina e sensível, podem ficar marcas”, comenta.

COMO CONSERTAR?
Felizmente, já existem tratamentos criados especialmente para tratar o problema. “Podemos atenuar as rugas através do uso da toxina botulínica, além de realizar tratamentos com bioestimuladores de colágeno, skinbooster, microagulhamento de ouro com radiofrequência e lasers também apresentam bons resultados”, afirma a médica.

Para prevenir, é importante se atentar à postura ao utilizar aparelhos eletrônicos. O mais adequado é deixar o celular na altura do seu olho. Sua coluna e pescoço vão agradecer. Além disso, o uso de medicamentos tópicos pode ser interessante.

“É importante consultar um dermatologista para indicar os produtos certos para cada pele e iniciar a prevenção com procedimentos como a aplicação skinbooster local, bioestimuladores de colágeno e enzimas que melhoram a flacidez da pele”, completa.

Último acesso: 20 Sep 2021 - 05:16:42 (1129107).