AnaMaria
Casa / Ano novo

5 dicas para diminuir o estresse dos cães com os fogos de artifício

Animais podem entrar em pânico e tentar escapar do local a qualquer custo

Da Redação Publicado em 29/12/2018, às 16h00 - Atualizado em 07/08/2019, às 17h46

A audição dos animais é bem mais aguçada do que a dos humanos - Banco de Imagem/Getty Images
A audição dos animais é bem mais aguçada do que a dos humanos - Banco de Imagem/Getty Images

Com a chegada das celebrações de Ano Novo, é difícil encontrar um lugar em que não existam pessoas soltando fogos de artifício como uma maneira de comemorar. 

No entanto, o ato acaba prejudicando os pets, pois a audição dos animais é bem mais aguçada do que a dos humanos, e muitos costumam sofrer com medo excessivo do barulho dos fogos.

O adestrador e especialista em comportamento animal Cleber Santos, proprietário da ComportPet, explica que  os cães entram em um estado de estresse intenso com o som alto dos fogos, ficando desesperados e podendo tentar fugir por janelas, sacadas ou portões, o que coloca a segurança  deles em risco. 

“É fundamental que os tutores estejam preparados para proteger seu cão da exposição ao barulho dos fogos”, completa. AnaMaria separou algumas dicas. Confira!

Aprenda a condicionar seu cão com antecedência 
É importante condicionar o cão ao som alto dos fogos diariamente, assim o estresse do animal com o ruído será cada vez menor.  Além disso, o treinamento deve ser diário e durar cerca de 20 minutos. 

Uma boa estratégia é fazer com que o cão se alimente ouvindo o som de fogos. Assim, irá associar o barulho a algo positivo. O tutor deve ligar o som e, em seguida, oferecer alimentação para o pet.

"Este treinamento pode ser feito em casos de filhotes e de animais que não apresentam um nível de estresse tão alto com o barulho. Toda vez que o dono ligar o som, ele ganhará comida. Também é possível associar o som irritante a petiscos e brinquedos. Quanto mais for feita essa associação, mais rapidamente esse cão irá perder esse medo", aponta.

Música para trazer tranquilidade
Fazer uso de outros sons para abafar o barulho intenso vindo dos fogos ajuda para que o animal fique menos conectado ao som principal. 

"Se possível, abafe  ao máximo o barulho dos fogos, fechando portas e janelas. Depois, coloque uma música tranquila, que ajudará a proporcionar um ambiente mais calmo. O uso de florais também é indicado para manter o cão mais relaxado e com menos medo", indica Cleber.

Proporcione um espaço adequado
Geralmente, em casos de estresse, os pets costumam procurar um local  para se esconder. Por isso, é importante criar um ambiente só para ele, que seja seguro e que não possibilite fugas.

"Deixe seu cão em um quarto tranquilo e onde fique isolado do barulho, com tela de proteção na janela. Ligue um som relaxante dentro do quarto, para abafar o som alto dos fogos que está vindo de fora. Dessa forma,  será mais confortável", diz.

Dar carinho sem sempre é a melhor saída
Um erro comum dos tutores é colocar o cãozinho no colo ou fazer carinho para tentar distraí-lo do ruído. "Não é recomendado dar carinho ao animal, pois se o dono agir dessa forma, estará ensinando o cão que, cada vez que ele sente medo, ganha carinho. Por isso, a melhor forma é deixar o cão seguro, quieto em um quarto separado”, explica Santos.

Evite deixar o cão sozinho
"Quando o cão fica com muito medo, pode entrar em pânico e tentar fugir. Caso o tutor precise se ausentar, o ideal é recorrer a um hotel para cães, que tenha uma equipe especializada para dar suporte aos animais", recomenda.