AnaMaria

Cabide certo faz diferença!

Não é frescura: um armário arrumado começa pela escolha do cabide ideal para cada tipo de peça. Saiba quais devem ser usados e evitados

Izabel Duva Rapoport Publicado em 20/09/2018, às 10h00 - Atualizado em 07/08/2019, às 17h46

Cabide certo faz diferença! - iStock
Cabide certo faz diferença! - iStock

De plástico, tecido, madeira, arame, com curvas, ganchos e pegadores. São tantos os modelos de cabide, que a gente acaba se  perdendo na hora de escolher o formato certo para cada tipo de roupa. “Quando a peça não está no cabide adequado, ela pode  estragar”, alerta a personal organizer Carol Rosa, que separou algumas dicas sobre o que e como pendurar. Segundo a profissional, tudo depende do espaço e da quantidade de roupa que a pessoa tem. “Se ela tem muitas peças para pouco espaço, os cabides finos são os ideais, pois permitem acomodar um maior número de itens”, afirma. Porém, ressalta que não adianta pendurar tudo o que tem no armário, deixando um cabide enganchar no outro. “O tecido amassa, podendo até danificar”, explica. Para ela, a dica é deixar um dedo de distância entre eles.

Quando o barato sai caro
Outro ponto importante é tomar cuidado com os cabides plásticos ou moles. Embora mais baratos, eles têm vida útil menor e exigem mais cuidado. Quem quiser economizar e comprá-los mesmo assim, a dica é usá-los para pendurar apenas peças leves. “Uma calça jeans, por exemplo, irá pesar e ele irá ceder”, diz a personal organizer.

Mais espaço e mais cuidado
Na hora de organizar o guarda-roupa e separar as peças que devem ser penduradas e dobradas, antes de tudo, pense na peça conforme as dicas de Carol Rosa, descritas na página ao lado. Com elas, será possível ganhar espaço, deixar tudo arrumado e ainda preservar suas roupas por mais tempo.

Blusa fina
As blusas de seda, cetim ou aquelas regatas que escorregam, devem ser penduradas em cabides flocados, que não ocupam muito espaço, são bons e práticos.

Camiseta polo
Não são raras as casas em que as camisetas do tipo polo são dobradas e guardadas em prateleiras e gavetas. “Mas, quando houver espaço, vale colocá-las penduradas em cabides”, recomenda. Assim, a gola não perde o formato original. Nesses casos, é bom manter o primeiro e o segundo botão abotoados.

Calça feminina
“Essa peça tende a ter uma numeração menor. Então, se possível, use cabide infantil”, indica Carol. Segundo ela, não ocupa muito espaço e acomoda bem as peças. Nesses casos, os cabides de acrílico, na espessura mediana, também resolvem. Os mais grossos
não são necessários. “Os pretos de plástico também podem ser usados. No entanto, evite pendurar calças jeans nesses modelos, pois elas são mais pesadas e tendem a estragar o cabide”, afirma.

Shorts e saias
Muita gente nem cogita pendurar shorts, mas essa é uma ótima opção. “Tanto os shorts como as saias podem ser pendurados em cabides com pinças”, diz. As pinças são adaptáveis a diversos modelos de cabides, como de silicone e veludo, e não estragam as
peças. Para shorts jeans, de tecido mais grosso, dá para usar as pinças de acrílico, que são mais simples e baratas. “Já para tecidos mais leves, vale colocar um pedaço de feltro entre a peça e a pinça, evitando que a roupa fique marcada”. Outra opção é aproveitar as alças que costumam vir na parte de dentro da peça para pendurar, como se fosse uma blusa.

Roupa social
Cabides de madeira tendem a ser descartados pelo espaço que ocupam. No entanto, de acordo com a personal, eles são excelentes e tem durabilidade impressionante. “Quem tiver espaço, deve optar por eles para pendurar calça, blazer e camisa.” Para terno, a indicação é a mesma: cabide de madeira, mas com espessura mais grossa. “Existem até alguns próprios, com formato da ombreira,
ótimos para manter a estrutura do terno”, lembra ela, que já emenda outra dica: roupas que fazem conjunto devem ser penduradas juntas. O alerta é tomar cuidado com o tamanho do cabide para não marcar ou lassear as camisas. “O ideal é que ele termine no fim do ombro”, recomenda.

Cintos e gravatas
Muita gente guarda essas peças enroladas e acomodadas em gavetas. “No entanto, esse jeito de guardar compromete a vida útil da peça”, avisa. Por isso, quem tem espaço, deve pendurá-los. E quanto mais esticados estiverem, melhor.

Vestidos
Vestidos longos, dependendo do peso, não devem ser pendurados. “O peso pode puxar o vestido para baixo, esticando a peça”,  explica Carol. Nesse caso, a dica é dobrar a peça ao meio ou usar dois cabides: um para a alça e outro para a outra metade do vestido, formando uma espécie de uma onda. O problema, nesse caso, é que ocupa um espaço um pouco maior no guarda-roupa.

Peças de tricô
Não devem ser penduradas, mas sim dobradas. “Se forem penduradas, podem esticar e perder a forma original”, diz.