AnaMaria

Vida sem pílula: Como parar o uso do anticoncepcional sem afetar a saúde?

Veja informações importantes na hora de reverter o processo de maneira segura

*Bianca Vilela, colunista de AnaMaria Publicado em 22/07/2021, às 09h00

O momento certo de parar irá depender do método utilizado - Pixabay/Anqa
O momento certo de parar irá depender do método utilizado - Pixabay/Anqa

Olá, pessoal da AnaMaria, tudo bem? Muitas mulheres já bateram o martelo e decidiram parar com o uso dos anticoncepcionais, especialmente devido aos efeitos colaterais já mencionados aqui em uma das minhas últimas colunas

Voltei a conversar com o ginecologista Fabiano Serra, expert em saúde da mulher, para trazer informações importantes na hora de reverter o processo de forma segura. Vamos lá?

PÍLULA
Se o medicamento for de uso contínuo, pode-se parar a qualquer momento. Se as pílulas forem com pausa, parar na pausa ajuda a evitar sangramentos de escape. Em ambos os casos, sua primeira menstruação natural pode demorar um pouco para voltar, cerca de um a três meses.

ADESIVO
Retire o adesivo no fim da validade. A menstruação natural pode demorar uns poucos meses para voltar.

IMPLANTE HORMONAL SUBCUTÂNEO:
Neste caso, você vai depender do auxílio de um médico para o procedimento, que deve ser feito com anestesia local e com material esterilizado. Os níveis de hormônio liberado pelo implante caem imediatamente, mas o retorno com a menstruação natural é muito variável.

INJEÇÃO DE ANTICONCEPCIONAL
Pode-se parar as injeções imediatamente. São, definitivamente, os que mais demoram com o retorno à fertilidade. Há casos de mulheres que demoram mais de um ano para menstruar regularmente. Para aquelas que têm desejo de gravidez breve, porém não de imediato, vale a pena parar a injeção e pensar em outro método de contracepção, inclusive métodos de barreira, como camisinha.

ANEL VAGINAL
Funciona da mesma forma que a pílula. Se uso contínuo, suspender de imediato. Se uso com pausa, parar na pausa. Assim como a pílula, sua primeira menstruação natural pode demorar um pouco, cerca de um a três meses.

DIU HORMONAL E NÃO HORMONAL:
Vai precisar da ajuda de um médico para a retirada. Pode ser ambulatorial, no próprio consultório, ou pode necessitar de um procedimento chamado Histeroscopia para aqueles casos em que o fio não está visível. Para o DIU de cobre, as menstruações não foram suspensas e continuarão a ocorrer naturalmente. Para o DIU Hormonal (Mirena, por exemplo), a menstruação pode demorar de um a três meses.

Em todos os casos, o médico é enfático: “Consulte sempre seu médico ginecologista para que, juntos possam avaliar a sua condição de saúde e o melhor caminho a seguir”.

*BIANCA VILELAé mestre em fisiologia do exercício pela Unifesp (Universidade Federal de São Paulo), palestrante e produtora de conteúdo. Desenvolve programas de saúde in company em grandes empresas por todo o país há mais de 15 anos. Na AnaMaria fala sobre saúde no trabalho, produtividade e mudança de hábitos. Instagram: @biancavilelaoficial