AnaMaria
Facebook AnaMariaTwitter AnaMariaInstagram AnaMariaSpotify AnaMaria

Dores na hora de abaixar? Pode ser problema de mobilidade articular

Esse tipo de exercício são mais recomendados no início de um treino

*Vanessa Furstenberger, colunista de AnaMaria Publicado em 09/07/2021, às 09h00

Vamos colocar esse corpo para se mexer! - Irina L/Pixabay
Vamos colocar esse corpo para se mexer! - Irina L/Pixabay

Olá, pessoal! Quando falamos em Mobilidade Articular, isso diz respeito à capacidade de explorar nossas articulações totalmente, em pequena ou grande amplitude, com movimentos livres de qualquer restrição.

Mas, atenção: isso é diferente de flexibilidade, uma propriedade intrínseca dos tecidos moles do corpo que determinam a amplitude de movimento conseguida em uma articulação ou grupo de articulações. 

Isso significa que a flexibilidade está ligada a viscoelasticidade dos músculos, ligamentos e outros tecidos, enquanto a mobilidade é a capacidade para executar movimentos dentro de uma amplitude de movimento.

Os exercícios de mobilidade são mais recomendados no início de um treino como forma de aquecer o corpo e preparar os músculos para conseguirem melhor amplitude de movimento. Já os de flexibilidade devem ser trabalhados após um treino, quando os músculos já aquecidos têm mais elasticidade e pode-se tirar melhor proveito dos exercícios.

SÓ VANTAGENS
O trabalho da Mobilidade Articular traz diversos benefícios para o nosso corpo, entre eles:

  • aumentar a amplitude dos movimentos;
  • ajuda a corrigir algumas disfunções articulares;
  • manter a saúde das articulações  tendões e ligamentos;
  • prevenir lesões,
  • deixar os músculos menos tensionados e mais eficientes para executar  movimentos;
  • estimular a produção do líquido sinovial.

QUANDO USAR ESSES EXERCÍCIOS?
De acordo com o modelo elaborado pelo especialista em treinamento de força Michael Boyle, cada articulação possui uma função primária específica. Quando existe uma diminuição nessa mobilidade prejudicando a função dessas estruturas, porém, são desencadeadas disfunções que levam a compensações em outras articulações.

Isso traz problemas como dores, prejuízo de postura por compensação para realizar os movimentos e diminuição da qualidade de vida.

COMO SÃO ESSES EXERCÍCIOS?
Normalmente são movimentos dinâmicos realizados nas articulações do tornozelo, quadril, torácica e glenoumeral (ombro). Seu objetivo é melhorar, restaurar ou manter a amplitude do movimento, aumentando a capacidade de oferecer um desempenho melhor nas atividades da vida diária e reduzindo o risco de lesões.

Essas melhoras nas articulações são feitas utilizando técnicas específicas de movimento, exercícios simples desenvolvidos especialmente para essa finalidade. O detalhe é que são bem diferentes dos movimentos de flexibilidade e alongamentos que executamos nos programas de treino.

Neste caso, são movimentos lentos que vão atingindo gradativamente o grau de amplitude das articulações para que não se corra nenhum risco de lesão. Independentemente da idade ou da atividade que se pratica, é aconselhado realizá-los no início do treino como uma maneira de preparação e de aquecimento.

Com relação a frequência que esses treinos de mobilidade articular devem ser realizados, ainda não se chegou a um consenso na literatura médica, mas sabe- se que a regularidade traz bons resultados e, aos poucos, as articulações vão ganhando amplitudes maiores de movimentos.

*VANESSA FURSTENBERGER é educadora física desde 1995. Mesmo sendo profissional do esporte, tinha dificuldade para manter o peso saudável, não tinha equilíbrio na alimentação e chegou a pesar 98 kg. Com 40 anos eliminou 40 kg e hoje ajuda pessoas a estabelecerem um estilo de vida saudável e equilibrado. Aqui em AnaMaria, compartilha dicas para um estilo de vida mais leve e com saúde! Instagram: @va.personal

{# Taboola Newsroom #}